Chega o fim do mês e com ele a pergunta: será que o dinheiro em caixa é suficiente para pagar todas as contas? Em momentos como esse é comum ficarmos nervosos e estressados, mas é preciso tomar cuidado para que as dificuldades financeiras não tragam também prejuízos à saúde.

“A vida financeira é uma preocupação recorrente na vida das pessoas e para muitos representa uma fonte de estresse muito grande”, afirma a psicoterapeuta Sabrina Amaral. Ela explica que essas preocupações, se frequentes, podem provocar diversos problemas, como oscilações de humor, distúrbios do sono e do apetite, ansiedade e até depressão.

Estudos também comprovam a relação entre saúde financeira e saúde mental. Segundo dados da Isma Brasil, entidade que faz parte da International Stress Management Association, voltada à pesquisa, prevenção e tratamento de estresse, 7 a cada 10 pessoas sofrem de ansiedade e preocupação devido a incertezas financeiras.

Como manter um orçamento saudável

Para ter tranquilidade com as finanças é importante manter um orçamento saudável, com custos mensais que comprometam no máximo 70% dos rendimentos. “Os outros 30% devem ser utilizados para realização de metas e para garantir a saúde financeira no futuro”, afirma Simone Sgarbi, especialista em organização financeira pessoal. Ela dá como exemplos de metas, planejar uma viagem e chegar à terceira idade com uma boa saúde. Mas manter as contas no “azul” pode ser um desafio para muitas pessoas.

Simone ressalta que o principal é analisar o quanto se gasta por mês ¬ e, não, o quanto se ganha. “Agora pense: se você parasse de receber hoje seu salário, por quanto tempo conseguiria manter seu padrão de vida?”, pergunta a especialista. Com isso em mente, ela orienta reservar uma porcentagem dos ganhos para investir, todos os meses, de forma a montar uma reserva de emergência. “É ela que vai evitar recorrer a um cheque especial, cartão de crédito ou consignado no caso de uma batida de carro, um problema dentário ou mesmo uma oportunidade imperdível”, relata.

Para Simone, reservar uma parcela dos rendimentos é uma forma de não viver apenas para trabalhar e pagar contas. “A liberdade está no controle. Então, como qualquer doença, faça um bom diagnóstico para começar o tratamento adequado”, aconselha. “Se o orçamento é pequeno para o bairro onde se vive, cogite mudar para um bairro mais acessível; se você adora fazer compras online, descadastre seus cartões dos sites, e se mesmo assim não se controlar, cancele os cartões. Se o ralo financeiro é com alimentação, organize um cardápio semanal. Perceba que o planejamento financeiro é como uma digital, é algo individual. Pare e conheça o seu planejamento”, recomenda.

Como cuidar da mente

E ao mesmo tempo em que se cuida das finanças, não se pode relaxar da saúde. A psicoterapeuta recorda que mente e corpo estão interligados. “A qualidade dos nossos pensamentos vai determinar como nos sentimos, os sentimentos vão definir como nos comportamos e o modo como nos comportamos nos levará a fazer escolhas positivas ou negativas para nossas vidas”, diz Sabrina.

Para ela, a nível emocional, o melhor antídoto para a ansiedade é o movimento. “Especialmente, se este movimento for na direção certa. Sua mente precisa entender que sim, você tem o controle da situação, e mesmo que leve um tempo tudo irá se resolver”, ressalta a psicoterapeuta. Ela propõe desenvolver hábitos saudáveis, como atividades físicas regulares, uma boa alimentação, práticas de respiração consciente, meditação e, se preciso, procurar ajuda de um profissional terapêutico.

Benefícios de saúde no trabalho

Poder contar com benefícios de saúde no local de trabalho também pode funcionar como uma boa ajuda nos momentos difíceis. “Devido à pandemia, as empresas aceleraram algo que já era uma tendência: o cuidado com a saúde mental dos funcionários”, diz Sabrina. Ela dá como exemplos de políticas corporativas a oferta de planos de saúde, iniciativas voltadas para saúde emocional, palestras, práticas de meditação e pronto-atendimento psicológico, que contribuem para ajudar quem está passando por dificuldades. “Em contrapartida, a empresa que investe no bem-estar dos funcionários tem melhores resultados, maior nível de comprometimento e aumento da performance”, destaca a psicoterapeuta.

Cuidar das finanças e da mente é fundamental para ter uma vida saudável e equilibrada. O que você faz para manter esse equilíbrio em dia?

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.