Como realizar entregas mais rápidas e vender mais

Os consumidores querem comodidade e segurança, ainda mais em tempo de distanciamento social, por isso é hora  de investir em delivery (veja aqui dicas de como implementar o seu) e em entregas eficientes. Mesmo oferecendo ótimos produtos, se não tomar cuidado com o processo de entrega, você pode prejudicar seu comércio.

Entregar rápido tem reflexo direto na quantidade de vendas e nos lucros. Pedidos com atraso provocam o desejo de nunca mais pedir, ainda mais se o pedido for de comer. Nesse caso, bom não é o bastante. Clientes satisfeitos com a velocidade e qualidade da entrega, por outro lado, pedem com mais frequência, em intervalos mais curtos, fato que os impede de experimentar outros lugares e ajuda na gestão de seu estoque. Além disso ainda indicam outros clientes. A seguir algumas dicas com enfoque especial em negócios do ramo alimentício:

1. INVISTA EM COZINHAS ESTRATEGICAMENTE LOCALIZADAS

Assim como os armazéns logísticos, que nada mais são do que depósitos estrategicamente localizados para reduzir o tempo de entrega, as cozinhas que servem apenas para tirar pedidos de delivery, que estão ganhando fama pelo termo dark kitchens, são uma tendência. A depender de onde estão situadas, podem atender diferentes locais até certa distância.

2. MANTENHA PRAZOS REALISTAS

Não prometa prazos que não possam ser cumpridos. Seja realista, meça o tempo médio de seus pedidos e compreenda a realidade de seus prazos de entrega. Relaxar demais também não é prudente, já que seu concorrente, sendo mais veloz, vai abocanhar suas vendas. Encontre o equilíbrio. Nem prazos muito justos, nem muito demorados.

3. MANTENHA BOM RELACIONAMENTO COM SEUS ENTREGADORES

Seus parceiros de entrega levam sua marca até a porta do cliente. Garanta pagamento em dia, tratamento cordial, forneça água e dentro do possível, alimento preparado pelo time da cozinha em forma de agradecimento por atingimento de metas e boas recomendações de clientes.

4. PREVINA PICOS DE DEMANDA

Sexta-feira à noite, sábado e domingo são dias notórios de picos de demanda para restaurantes que fazem entregas em regiões onde existe grande volume de pedidos. Observar atentamente quais produtos saem mais em qual local, dia e horário ajudam a prever demanda, garantir ingredientes no estoque para atender seus clientes sem ter que atrasar ou interromper a produção e sair para comprar no distribuidor mais próximo um item de matéria prima.

5. RASTREIE OS PEDIDOS POR MEIO DE TECNOLOGIA

Existem softwares que podem ser acoplados ao seu sistema gerencial para rastreamento do status de pedidos, geração de relatório com média de tempo de entrega, dentre outras facilidades para o varejista. Essas informações ajudarão a compreender se existe algum erro e encontrar formas de otimizar as entregas.

6. ACEITE PEDIDOS VIA TELEFONE NA NUVEM

O telefone é uma forma tradicional de receber pedidos de delivery. Em alguns horários a quantidade de pedidos pode se tornar grande, os números ficam ocupados e o comerciante acabar perdendo pedidos. Um sistema de telefonia em nuvem nesse caso pode direcionar automaticamente a ligação para o próximo número disponível até que um de seus atendentes pegue a chamada, além de manter registros quanto aos números para um controle posterior. É importante que sua equipe esteja bem treinada para se comunicar com o cliente ao telefone e obter informações claras para não errar no pedido e facilitar o trabalho dos entregadores no endereço correto. Boa parte dos pedidos atrasam porque os entregadores tiveram dificuldade em achar o endereço. Para prevenir confirme pontos de localização e fornecendo um GPS ou conexão de internet para o smartphone do entregador, de modo que ele possa usar serviço como Waze, Google Maps, dentre outros.

7. ACEITE PEDIDOS VIA APLICATIVOS

Outra forma de usar a tecnologia é possibilitar pedidos online. Não faltam fornecedores e apps para apoiar seu estabelecimento nessa frente de vendas. Caso não queira se tornar dependente deles, você pode ainda investir na criação de seu próprio app de pedidos, integrado ao sistema de seu estabelecimento comercial e seu ponto de venda físico. Além dos apps, seu estabelecimento pode e deve ter um menu online no site, já que cada vez mais pedidos virão de canais online.

8. SOFTWARES QUE FACILITAM

Caso esteja utilizando diversos serviços de pedidos online, é conveniente contratar uma solução de conciliação que integra todos eles e ajuda a dar uma visão de todos os seus recebíveis. Outra ferramenta bastante útil é um CRM, para identificar nome, últimos pedidos e endereço do cliente no momento que ele fizer o pedido ou ligação, agilizando o processo de entrega.

9. PEDIDO INCOMPLETO FICA ATRASADO

Nada pior do que fazer seu entregador voltar ao seu estabelecimento, pegar uma latinha de refrigerante que faltou, e retornar no cliente para entregar. Falhas como essa elevam o custo operacional e deixam aquele gostinho amargo de atraso na boca [nesse caso, seca] do cliente. Por tanto, fique atento aos complementos como quantidade correta de bebidas, pimenta, orégano, shoyu, guardanapos, talheres descartáveis e tudo o que precisa ir junto com o pedido.

10. COMIDA QUENTE PASSA A SENSAÇÃO DE ENTREGA RÁPIDA

A temperatura é fundamental para causar impacto positivo (ou negativo). Comida fria pode ser sinônimo de comida estragada e causar má impressão. Por isso saiba quanto tempo a embalagem térmica aguenta manter a comida isolada e aquecida. Bebidas, saladas, sobremesas e sorvetes também precisam chegar geladinhos. Nesse caso opte por gelo seco para mantê-los frescos ou gelados. Invista em embalagens eficientes, que não derramam, para que a comida chegue no cliente apetitosa e organizada, reproduzindo com melhor fidelidade possível a experiência de comer no próprio estabelecimento. A embalagem tem ainda o poder de fortalecer a memorização da marca do estabelecimento. Garanta que seu logo esteja estampado na embalagem. Leia mais sobre embalagens nesse post.

11. PROCEDIMENTO PADRONIZADO AGILIZA ENTREGA

Seja com equipe própria de entrega ou terceirizada, padronizar procedimentos da cozinha e motoristas faz toda a diferença na velocidade. Organizar quem vai embalar os pedidos, definir onde eles ficarão disponíveis, separados para retirada, sacolas com nome do cliente, cupom de pedido grampeado juntando mais de uma sacola do mesmo pedido para que nada fique de fora – isso previne erros e atrasos. Pecar na eficiência dos preparativos causará um efeito cascata que chegará no cliente. Se a refeição leva de 10 a 15 minutos em média para ficar pronta, entregar vários pedidos juntos para otimizar o custo de transporte torna a entrega lenta, ainda mais com trânsito no trajeto. Se ver que a demora será superior a 45 minutos, ligue para o cliente para informá-lo sobre isso. Ser surpreendido com uma demora de uma hora ou mais com fome, fará o cliente pensará duas vezes antes de fazer um próximo pedido.

12. ENTREGUE DEPRESSA NO ALMOÇO E NO JANTAR

Jantar é por vezes, hora de celebrar. As pessoas estão em casa, desejando momentos felizes, com familiares, cônjuges, parceira(o), e o prazo de entrega é importante. No almoço estão com o cronômetro correndo, possuem intervalo curto no trabalho para comer e com famílias que trabalham, falta tempo para preparar refeições nutritivas durante a semana. Para esse tipo de cliente, padronize o tempo de envio, ofereça entregas ainda mais rápidas dentro de alguns quarteirões mais próximos.

Escolher uma forma de entregar que combina com o seu comércio é essencial para entregas mais rápidas, baratas e eficientes.

A compra entregue no tempo certo, ou até mesmo antes do prometido, tem boas chances de surpreender a clientela e favorecer a fidelização. As formas de entrega do produto podem variar de loja para loja, assim como de produto para produto. Para evitar transtornos, avalie qual é a melhor opção para o seu tipo de comércio ou serviço.

O sucesso do seu comércio – e as dicas aqui também são válidas para lojas virtuais – será pautado pela experiência que você oferece aos seus consumidores. Ela passa pelo prazo e o cuidado (ou a falta dele) na hora do envio e entrega dos seus produtos.

Lembre-se que atrasos geram insatisfação e podem prejudicar a imagem da marca na internet, influenciando negativamente outros possíveis compradores.

Considere utilizar como forma de entrega:

  1. Correios

Uma das opções mais utilizada por quem trabalha com comércio eletrônico ou por lojistas que fazem entregas são os Correios. Não é necessário ter um contrato com a companhia, mas dependendo do volume de envios que fará, vale a pena. Entre as vantagens de ter um contrato estão os descontos nos valores e possibilidade de pagar os fretes realizados por meio de fatura, em vez de pagar cada remessa por vez. É uma opção para quem quer economizar tempo e dinheiro.

Há várias opções de serviços e preços, de acordo com prazos de entrega, tamanho e peso dos pacotes. Importante saber que o peso máximo permitido é de até 30 quilos em envio normal e de no máximo 10 quilos se a escolha for por Sedex. O bom é que as encomendas podem ser rastreadas pelos lojistas e consumidores.

  1. Fedex

Outra opção de envio, principalmente se for enviar suas encomendam para fora do país. Pelo site do Fedex é possível fazer uma simulação do frete e não há restrição de peso, tamanho ou quantidade. É um sistema bem moderno que trabalha com vários modais.

  1. Melhor Envio

Caso você tenha um volume melhor de remessas uma opção é o Melhor Envio, com valores menores de frete. Basta se cadastrar no site da empresa, fazer o pagamento e a partir disso, você recebe uma etiqueta e despacha sua mercadoria pelos Correios. A empresa funciona como intermediária, por trabalhar com diversas entregas menores de lojas pequenas e ganha descontos no volume acumulado, que é repassado para você, ao pagar direto para ela e não para o Correio. Também é possível calcular fretes direto no site.

4.Transportadoras

Caso o seu comércio trabalhe com produtos com mais de 30 quilos, ou quando a soma de várias encomendas ultrapassarem esse limite, a opção mais recomendada e barata para entregas rápidas é contratar uma transportadora.

Uma das vantagens desse modelo é que você não corre risco de atrasar a entrega, caso tenha alguma greve nos Correios, por exemplo.

Sobre o valor do frete, as transportadoras costumam calcular, além do tamanho do produto, o nível de periculosidade no transporte e na entrega, o valor da mercadoria, a distância percorrida, a fragilidade da mercadoria, o peso, tributações e se haverá pedágios pelo trajeto.

  1. Veículo próprio

Se a entrega for na mesma cidade ou próxima a loja, quem quer ter o total controle do trajeto pode optar pelo veículo próprio como uma boa alternativa. Dessa forma também é possível estabelecer o próprio horário e melhores dias para enviar um produto. Dependendo do caso, é possível entregar no mesmo dia, algo que os consumidores têm prezado cada vez mais.

  1. Motoboy

Motoboy é sinônimo de entrega rápida. Seu comércio, seja físico ou virtual, pode ter um motoboy próprio ou contratar um no modelo de freelancer para fazer as entregas pontuais, reduzindo custos com manutenção do veículo. Se tiver um bom volume de entrega vale contratar uma empresa de motoboy para delivery, no lugar de contratar um profissional avulso. É importante verificar se os entregadores são treinados, pois lembre-se que o bom relacionamento com o seu cliente precisa ser até o momento da entrega do produto.

  1. Bicicleta

Ecologicamente correta, a entrega por bicicletas tem ganhado muitos adeptos pelo Brasil. Nas grandes cidades, a preocupação com trânsito e redução da poluição tem feito que muitas empresas optem por realizar as entregas mais próximas com este modal. Em horários de muito trânsito, por exemplo, a entrega por bicicleta pode ser a opção mais rápida e barata. De brinde, sua empresa ainda passa uma boa mensagem de sustentabilidade e cuidado com o meio ambiente.

  1. Retirada no local

Alguns lojistas também oferecem a possibilidade de o cliente retirar a mercadoria que comprou online na loja física ou no estoque. A retirada pode ser mais rápida e o consumidor economiza o valor do frete. Se isso for viável no seu modelo de negócio, crie alternativas e condições para possibilitar a retirada de maneira correta e segura.

 Dica bônus: Controle seu estoque

Não esqueça que tanto no comércio digital quanto no tradicional, é preciso também ter um planejamento estratégico para controlar o seu estoque.

Certifique-se de só colocar produtos à venda em sua loja virtual que estejam realmente disponíveis em seu estoque. O cuidado deve ser redobrado caso tenha também uma loja física. Neste caso, o uso de um software de gestão é fundamental para fazer a integração das vendas de todos os canais e dar baixa imediatamente no sistema, em cada venda efetuada.

O uso de um sistema próprio possibilita ainda ter acesso a diversos relatórios que vão ajudar a conferir quais produtos estão parados e quais têm mais saída. Com isso, você pode pensar em oferecer algum desconto ou fazer alguma promoção específica para dar fluxo ao estoque parado.

 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.