Você conhece o South by Southwest? Conhecido como SXSW, o maior evento de criatividade e inovação do mundo acontece anualmente, reunindo um time de pessoas interessantes para debater ideias, tecnologias e comportamentos que miram o futuro. Para 2021, a tendência em vendas aponta não apenas para o e-commerce, mas para o Live Stream Shopping, conceito de transmissão ao vivo que une vendedor e comprador.

Foi em 1987 que surgiu o primeiro SXSW em Austin, nos Estados Unidos, sendo até hoje reconhecido como um movimento importante em termos de experiência, conexão, diversidade e conteúdo fora da caixa. Empreendedores, grandes empresários, cineastas, músicos, comunicadores e algumas outras centenas de mentes brilhantes circulam ou palestram por lá. Quem já esteve no evento uma vez, jamais esquece e quer voltar de novo.

Reforçado pelo evento, um dos assuntos mais falados atualmente dentro do varejo é o Live Stream Shopping, modalidade remota de vendas que combina tecnologia e canais de mídias sociais para aproximar consumidor e produto. A ideia nos recorda das vendas por telefone ou por canais de TV, mas com o adicional de plataformas que facilitam o pagamento, além das celebridades participando das promoções e da interação em tempo real com os clientes.

Principais vantagens:

  • É 100% on-line e remoto, podendo acontecer em qualquer lugar, a qualquer hora;
  • O vídeo ao vivo evita surpresas e distorções do produto que será recebido em casa. Cor, tamanho e textura são alguns dos pontos cruciais esclarecidos nas lives;
  • Responde a dúvidas do público sobre cada produto em tempo real;
  • Tem mais interação com o público que anseia por vínculos;
  • Anuncia promoções, preços e condições especiais na hora da live para incentivar as compras;

Não é só compra, é entretenimento

Durante o SXSW 2021, o painel “O futuro do varejo e da venda online” teve participação de três grandes marcas que já incorporam as lives na comercialização de produtos, como a Amazon Live, plataforma exclusiva da Amazon, destinada apenas a essa modalidade.

Numa boa sacada de marketing, a diretora da ferramenta, Munira Rahemtulla, contou que influencers foram incorporados às vendas dentro da plataforma por meio de vídeos interativos, facilitando que os seguidores encontrem os produtos de desejo divulgados pela celebridade em questão. Durante a transmissão, uma lista de itens utilizados vai surgindo na tela do consumidor, que também interage com outros participantes em um chat.

Na ocasião, foi debatido sobre o crescimento exponencial do e-commerce em virtude da pandemia de Covid-19. Eventos de lançamento de novas mercadorias, testes e tutoriais em streaming são outras ferramentas para fortalecer a comunidade ao redor da marca e promove uma experiência compartilhada de compra.

Algumas marcas e lojas virtuais têm investido em streamings semanais para mostrar os produtos, responder dúvidas, falar sobre lançamentos, entre outros assuntos.

Um dos participantes do evento, David Sandstrom, diretor de marketing da Klarna, disse que a venda on-line sempre focou em conversão, mas que o Live Stream Shopping abre novas possibilidades a partir do engajamento do consumidor. “Não é apenas sobre a compra, mas sim sobre toda a experiência que não era possível até então no ambiente online, de pedir opinião, falar sobre o produto, interagir com outras pessoas no momento da compra”, afirmou, apontando para o resgate do senso de participação e conexão humana, mesmo que a distância.

Outro ponto em destaque é que as vendas com certo nível de interatividade resultam não apenas em compras mais assertivas como também em entretenimento. Em termos mais sensoriais, as tecnologias 3D e imersivas têm sido apontadas como recursos mais sofisticados e ao mesmo tempo possíveis para gerar o encantamento do cliente. “Quando pensamos em virtualizar uma experiência, ela tem que engajar, ser multissensorial, interativa e divertida”, reforçou Silke Meixner, estrategista digital da IBM.

Vale lembrar aqui um case de sucesso brasileiro. Em novembro de 2020, a Magazine Luiza fechou um acordo com a Globo para transmissão ao vivo do evento de Black Friday em três canais distintos da emissora, promovendo descontos, shows de artistas renomados e interação com apresentadores conhecidos, como Taís Araújo.

O resultado foi um crescimento de 10 pontos percentuais na participação de mercado em comparação com o mesmo mês de 2019, segundo levantamento da Ebit/Nielsen. Em comunicado, a marca esclareceu que ultrapassou 100% da expectativa de vendas no e-commerce.

As lojas Americanas fez pela segunda vez consecutiva uma ação semelhante na mesma data, com participação do youtuber e empresário Felipe Neto, e outros convidados. A empresa estava na vanguarda em 2019 quando aconteceu o primeiro Show da Black Friday, divulgado pela empresa.

De olho nos dados

Apesar de ser um conceito repaginado, o Live Stream Shopping já dava sinais de sucesso na Ásia a alguns anos atrás, como por exemplo na China, que tem 90% dos habitantes consumindo dessa maneira e se apresenta como líder no segmento. Nos Estados Unidos, o número de adeptos às compras ao vivo chega a 38%, gerando 60 bilhões de dólares em vendas globais em 2019.

Em Singapura, outro dado curioso: produtos relacionados à alimentação são líderes de vendas em lives. De acordo com um levantamento da plataforma Shopavision, 51,3% dos consumidores são mulheres e 48,7% homens, de faixas etárias variadas. A maior fatia desse nicho, porém, são pessoas entre 18 e 24 anos de idade.

Entre as razões de preferência pelas vendas ao vivo, os entrevistados alegaram gostar de receber informações atualizadas dos vendedores, sentem-se conectados com o mundo e entusiasmados. Cerca de 74% dos millennials consideram que é também um serviço útil na hora de comparar produtos antes de fazer uma compra.

Por lá, as vendas por transmissão ao vivo são mais populares no Twitch, aplicativo que reúne gamers, em sua maioria, seguida pelo V Live, que conecta fãs a celebridades coreanas, e por fim o YouTube Live, comandado pelo Google.

No Brasil, o Facebook e o Instagram certamente apareceriam como as plataformas mais utilizadas para compras do gênero, mas ainda não é um movimento expressivo a ponto de desencadear pesquisas. Porém, está mais do que na hora de começar a testar o Live Stream Shopping na hora de vender e envolver o cliente.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.