Uma boa iluminação faz a diferença em um estabelecimento comercial. A escolha certa de luminárias e pontos de luz influenciam a composição do ambiente, tornando-o mais aconchegante e atrativo. O espaço físico tem um papel importante no momento de decisão de compra pelo consumidor, assim como uma iluminação agradável é capaz de manter o cliente dentro do estabelecimento por mais tempo.

Por uma série de motivos que listaremos a seguir, os empresários e comerciantes devem ficar atentos na hora de implementar um projeto de iluminação em bares, restaurantes, lanchonetes e lojas em geral.

A iluminação é uma eficiente ferramenta para criar um clima diferente em um restaurante ou mesmo destacar um produto em uma loja. Luminárias e pontos de luz são capazes de chamar a atenção dos consumidores. Pensando em ajudá-lo com essa tarefa, vamos sugerir e explicar algumas ideias para melhorar a iluminação do seu estabelecimento comercial e, com isso, aumentar suas vendas.

Nos projetos de iluminação em estabelecimentos comerciais, o primeiro passo é verificar o nível de luz ambiente que o local precisa. Veja as recomendações técnicas dispostas na norma NBR ISO-8995-1, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que especifica os requisitos de iluminação para locais de trabalho internos e as condições para que os profissionais desempenhem tarefas visuais de maneira eficiente, com conforto e segurança durante todo o período de atividade. A luz certa dependerá da atividade que será realizada no ambiente.

Aproveitar a luz natural que entra em seu estabelecimento é um bom recurso para saber onde posicionar as luminárias que vão ajudar a compor o ambiente. Outra vantagem é usar os recursos naturais para reduzir o consumo de energia elétrica durante o dia. As luminárias artificiais devem preencher lugares onde a luz natural não alcança ao longo do dia e nos pontos necessários, durante a noite.

Quando o assunto é economia, outra forma de reduzir custos é investir na automação da sua iluminação comercial. Utilize sensores de presença, capazes de captar calor ou movimento, ligando as luzes só quando tiver pessoas no local ou apagar quando não há ninguém.

Outra opção são os sensores de iluminação, que identificam a quantidade de luz natural presente no local e adaptam a quantidade de luz artificial necessária. Inteligentes, esses sensores são capazes de ajustar a intensidade da luminosidade. Em dias nublados, por exemplo, o sensor compensa a baixa iluminação do local, aumentando quantidade de luz das luminárias

Há também a possibilidade de instalar temporizadores, que podem ser tanto analógicos quanto digitais. Ambos possuem a mesma funcionalidade, basta programar o horário que deseja que uma determinada lâmpada se acenda e quanto tempo deve permanecer acessa.

Ao buscar a melhor iluminação para seu negócio saiba que o cuidado não deve ser somente na parte interna. Importante dar atenção também para a fachada do seu estabelecimento. Priorize uma decoração mais simples e sofisticada e evite a poluição visual, com o excesso de luzes. Essa prática, além de aumentar seus custos com energia, pode ter um efeito contrário na hora de atrair seus consumidores.

A iluminação da sua fachada por ser usada para reforçar os valores da sua marca. Opte por cores que sintonizem com a identidade visual da sua marca. Fique atento também às datas comemorativas. Não só nas comemorações de final de ano como Natal e Ano Novo, em que já é mais comum os estabelecimentos comerciais apostarem em uma iluminação diferenciada. Dependendo do tipo de comércio que mantém, outras datas como Outubro Rosa ou Novembro Azul também podem servir de inspiração para que trabalhe com luzes coloridas, chamando a atenção de seus consumidores ao mostrar que apoia essas campanhas.

Tipos de lâmpadas e luminárias

A escolha correta do tipo de lâmpada e luminária a ser instalada no estabelecimento faz toda a diferença e pode interferir tanto na produtividade e concentração de funcionários, como influenciar no comportamento dos consumidores e clientes. A incidência de luz direta, por exemplo, é apropriada para áreas de trabalho e destaque de pontos específicos com luz focal (exemplo: plantas, vasos, quadros). Já a luz indireta é indicada para criar uma atmosfera cênica e aconchegante. A tonalidade das lâmpadas também segue a mesma lógica, as mais brancas são ideias para estudo, leitura e atividade profissional. As mais amarelas indicadas para situações relaxantes e românticas. A cor e o tipo de lâmpada influenciam no aspecto de alimentos, pratos, de roupas no provador em lojas e por isso é essencial escolher o tipo certo para a situação de uso e local.

Além desses fatores, o modelo usado reflete no consumo de energia elétrica, gerando mais gastos ou economia. No mercado, existem várias opções, veja qual modelo se adapta melhor aos seu tipo e porte de comércio.
As lâmpadas fluorescentes consomem pouca energia, não emitem muito calor e distribuem a luz por igual. Elas são muito usadas em restaurantes, vitrines, placas comerciais, entre outras aplicações.

Apesar da sua popularidade, o mercado vem substituindo as luminárias fluorescentes por luminárias LED, uma tecnologia superior e mais versátil. O mesmo ocorre com as lâmpadas halógenas, que vêm sendo substituídas porque são menos econômicas e possuem vida útil menor do que as de LED.

Por ter vida útil maior e consumir pouca energia elétrica, as luminárias de LED não geram calor e podem ser utilizadas em projetos que priorizem luz direcional. Podem ser usadas em qualquer ambiente e são comuns em supermercados, shoppings, galpões e lojas em geral, por sua versatilidade em decoração de ambientes.

Quando se trata de iluminação de ambientes comerciais não podemos deixar de fora o trio de lâmpadas PAR, AR e Dicroicas. Queridinhas de decoradores e arquitetos que desenham a luz dos ambientes, as lâmpadas PAR20 e PAR30 são perfeitas para iluminação geral de ambientes. A única diferença entre elas é a potência, seu ângulo de abertura do fecho de luz é de 25 a 30º. Já as dicroicas são indicadas para luz direcional, ressaltando por exemplo uma obra de arte presente no ambiente. Por fim as lâmpadas AR48, AR70 e AR111 possuem um ângulo de abertura maior do que as AR, de modo que são perfeitas para criar círculos iluminados sobre mesas, poltronas, sofás, tapetes etc. A AR48 emite menos luz e funciona bem para tetos com altura convencional, a AR70 altura intermediária, e a AR111 é mais indicada para pé-direito mais alto.

Com tantas opções e possibilidades, você pode contratar um profissional especializado em luminotécnica para que ele te ajude a escolher os melhores materiais, cores e tipos de luzes para criar uma decoração agradável e segura em seu estabelecimento comercial.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.