Assistir filmes e séries na televisão ou nos serviços de streaming é uma boa opção para relaxar e desligar um pouco do “mundo real” em que vivemos, mas muitas produções podem servir de inspiração e exemplo para quem trabalha com gestão de pessoas e recursos humanos.

Com a grande variedade de serviços disponíveis no país, ficou mais fácil encontrar aquele filme que fala sobre RH ou uma série que mostra o dia-a-dia em uma companhia.

Por isso, o Blog da Alelo fez uma seleção de produções que podem ajudar a construir um ambiente propício para o desenvolvimento pessoal da equipe. Confira:

Suits

Suits é uma série disponível na Netflix que mostra a rotina de um escritório de advocacia. Mesmo sem se formar e sem licença para advogar, Mike Ross, um jovem brilhante, impressiona Harvey Specter, um importante advogado, e consegue uma cobiçada posição em sua firma.

Com o desenrolar da série, os personagens são colocados em situações de conflitos éticos que mostram como os gestores devem se posicionar perante a equipe. Aos poucos, Mike começa a ganhar espaço no escritório e desperta inveja e desconfiança dos outros colaboradores.

As principais características destacadas são as soft skils, liderança dos advogados mais experientes, trabalho em equipe mesmo com “concorrentes” internos e resiliência.

Billions

Uma das séries de maior sucesso e também disponível na Netflix, a produção é focada nos conflitos profissionais e pessoais dos protagonistas: o bilionário Bobby Axelrod, dono de um fundo de investimentos, e o promotor Chuck Rhoades, responsável por investigar possíveis crimes na empresa do rival.

O ponto de conflito entre os dois personagens é Wendy Rhoades, casada com Chuck e psicóloga de Bobby e seus funcionários.

O ambiente tóxico da companhia de Axelrod é destacado em diversas situações em que a gestão e a liderança do CEO são colocadas à prova, enquanto Rhoades lida com as dúvidas e questionamentos morais e éticos que uma pessoa com cargo público lida quando o lado pessoal passa a interferir nas suas ações.

Temas como diversidade, uso de substâncias proibidas no ambiente de trabalho e competitividade excessiva também são expostos na série.

O Gambito da Rainha

Lançada no fim de 2020, a série tornou-se sucesso mundial em pouco tempo. Em O Gambito da Rainha, a protagonista é Elizabeth Harmon, uma jovem que sobrevive a um acidente de carro e passa a viver em um orfanato. Lá, ela é apresentada ao xadrez e logo de cara demonstra uma habilidade especial para o esporte.

A série traz algumas lições que podem ser usadas no ambiente corporativo, como resiliência, a importância de aprender a lidar com concorrentes, a relevância de uma mentoria bem feita e com consistência e a necessidade de adaptar o plano inicial em decorrência de mudanças e alterações no percurso.

Amor sem escalas

Demitir uma pessoa é provavelmente um dos momentos mais desafiadores para quem trabalha com recursos humanos. No filme “Amor sem escalas”, Ryan (George Clooley) viaja pelo país para demitir “cara a cara” centenas de pessoas e, de repente, esse processo passa a ser feito de forma remota.

O filme dá lições importantes sobre a valorização do quadro de colaboradores, a relevância de uma cultura organizacional consolidada e transparente e como os processos ligados ao RH são importantes para manter um bom ambiente de trabalho, mesmo em situações de corte de despesas e pessoal.

Explicando a Mente

A série Explicando a Mente, disponível na Netflix, se propõe a desbravar a mente humana e como ela reage em diversas situações. São cinco episódios e cada um deles foca em um aspecto da neurociência: memória, sonhos, ansiedade, meditação e psicodélicos.

Ao obter mais informações sobre como a mente humana funciona, o profissional de recursos humanos poderá usar o conhecimento para atuar em situações do mercado e do mundo corporativo.

A Dançarina Imperfeita

Pode parecer estranho pelo título do filme, mas o longa “A Dançarina Imperfeita” mostra a importância do autoconhecimento para atingir os seus objetivos pessoais e profissionais.

Ao buscar uma vaga em uma das maiores universidades do país como forma de homenagear o pai, a personagem Quinn Ackerman começa a questionar a validade deste objetivo e se realmente está disposta a lutar por um lugar.

O comprometimento de Quinn coloca em xeque o seu propósito e pode ser usado como exemplo de missão e valores de uma empresa.

Estrelas além do tempo

A história quase desconhecida das mulheres negras que trabalhavam na Nasa no auge da corrida espacial – travada entre Estados Unidos e Rússia durante a Guerra Fria – concorreu ao Oscar em 2017 e permanece com uma temática bem atual.

A equipe de cientistas, formada exclusivamente por mulheres afro-americanas, provou ser o elemento crucial que faltava na equação para a vitória dos Estados Unidos, liderando uma das maiores operações tecnológicas registradas na história americana.

O drama aborda questões importantes como diversidade e a necessidade de renovar as competências ao longo da carreira. O avanço da tecnologia, que por vezes é encarado com temor por muitos colaboradores que temem por seus empregos, é abordado de forma tocante e mostra que a evolução dos equipamentos caminha lado a lado com a evolução das pessoas. O filme pode ser visto no TeleCine Play ou comprado nas plataformas de streaming.

The Office

Depois de alguns exemplos que podem servir de inspiração, vamos dar uma dica de série que mostra exatamente o oposto. Claro que estamos brincando, mas a série “The Office” mostra o cotidiano de uma empresa em uma pequena cidade nos Estados Unidos que está longe de ser uma potência no mercado e gerida da pior forma possível.

Michael Scott, interpretado por Steve Carell, é o gerente regional da empresa que vende papel e dá diversos exemplos de como NÃO gerir uma empresa. A série está disponível no Amazon Prime Video.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.