A princípio você pode se surpreender ao encontrar um conteúdo sobre blockchain, uma ferramenta usada no mercado financeiro, principalmente no mundo das criptomoedas bitcoins, em meio a matérias sobre gestão de pessoas. Mas acredite, o conceito por trás deste mecanismo está sendo usado por gestores de recursos humanos e já é apontado como uma das principais tendências do setor.

Por isso, o Blog da Alelo vai te ajudar a compreender o que é o blockchain e como ele tem sido usado para facilitar e otimizar o trabalho no RH, principalmente no recrutamento de novos talentos.

Para começar, o blockchain é uma espécie de banco de dados que armazena todas as informações ligadas às transações de bitcoins no mundo. A ferramenta é acessível a todos os usuários e permite uma transparência quase que total sobre o que está acontecendo neste mercado, mas de forma segura e confiável.

Este sistema de registros pode ser acessado de qualquer lugar do mundo e preza pela segurança dos dados nele inserido, já que estamos falando de transações que representam muito dinheiro do “mundo real”. Nele, cada transação tem um código único e somente quem faz parte dela tem acesso, além de ser criptografada.

Um estudo realizado pela Transparency Market Research mostrou que o mercado da tecnologia blockchain vai movimentar cerca de 20 bilhões de dólares em 2024.

Como o blockchain pode ajudar o RH?

Com o histórico de sucesso no mundo financeiro e das criptomoedas, o blockchain começou a ser estudado por outros setores que necessitam de segurança no arquivamento e compartilhamento de documentos, por exemplo.

É uma forma de simplificar e otimizar sistemas que podem ser alvo de fraudes e hackers. Um deles é o setor de recursos humanos, principalmente no processo de recrutamento.

O ponto principal que a utilização da ferramenta pode impactar é a confiabilidade das informações que os candidatos enviam para as empresas em que querem trabalhar. Apesar de o currículo em papel ainda estar presente na nossa realidade, o mundo digital está cada vez mais dominante.

A tecnologia envolvida com o blockchain pode ajudar a criar plataformas em que o candidato consiga de fato apresentar informações relevantes e confiáveis sobre o seu histórico profissional, inclusive com recomendações de empresas anteriores.

Lembre-se que as informações na ferramenta são criptografadas, então um antigo líder de um candidato poderá descrever de forma mais verdadeira e fiel as qualidades do profissional, mesmo que seja para uma empresa concorrente.

E há mais uma vantagem: os recrutadores terão acesso com transparência e confiabilidade aos dados dos possíveis contratados. Dessa forma, as companhias deixaram de perder tempo, dinheiro e esforço com candidatos que não entregam o que o currículo promete.

Quem já usa o blockchain?

Algumas empresas pelo mundo já estão usando a tecnologia, como a Persol Group, uma das maiores companhias de recursos humanos do Japão. Em parceria com outra gigante do setor de tecnologia da informação, a NEC Corporation, foi criada uma plataforma de recrutamento com base no conceito do blockchain.

Em anúncio realizado no segundo semestre do ano passado, o serviço visava trabalhar com dados pessoais seguros, evitando falsificação e autenticidade das informações.

No começo de 2020, outra empresa de RH, a Randstad, automatizou o fluxo de trabalho ao passar a usar contratos inteligentes em todas as suas áreas. Isso só foi possível pela integração com a plataforma corporativa de blockchain Cypherium. A Randstad tem como objetivos reduzir os erros humanos e economizar tempo e recursos.

A tecnologia dos contratos inteligentes (Smart contracts) é tão disruptiva quanto a própria blockchain. Trata-se de contratos que não dependem de intervenção humana para serem firmados nem executados. As regras são estabelecidas e quando as partes interessadas aceitam, a plataforma roda os códigos e cálculos arbitrários. A rede pioneira de contratos inteligentes foi o Ethereum, onde os participantes da rede verificam, validam e realizam (executam) contratos.

Outra empresa que já usa a ferramenta é Big Four Deloitte para rastrear, compartilhar e validar informações da equipe.

Já a PricewaterhouseCoopers LLP usa desde abril de 2019 o sistema “Smart Credentials” para acelerar o recrutamento de novos talentos. Hora ou outra esse novo conceito chegará até a sua empresa e já é importante saber sobre o que o mercado está falando.

 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.