A retomada das atividades econômicas após a crise causada pelo novo coronavírus exigirá soluções inovadoras por parte das empresas. O grande desafio é criar um ambiente propício para o surgimento de ideias que rompam os padrões existentes antes da pandemia.

É o que mostra uma pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) que aponta que para 83% das empresas ouvidas, a inovação será o caminho para aceleração da retomada da atividade econômica e para a manutenção do ritmo de crescimento nos próximos meses.
O levantamento também revelou que a cultura de incentivo à inovação está presente em 92% das empresas ouvidas, sendo que em 55% delas esse movimento aumentou a produtividade.

Casos de inovação para inspirar 

Já há alguns exemplos que podem inspirar essa nova direção. A lógica é que é possível criar soluções novas a partir de instrumentos que já existem. Dessa forma, os investimentos são baixos e a criação passa a ser a peça chave desta equação que pode fazer a diferença na última linha do balanço dessas companhias.

No setor energético, a Enel X, linha de negócio do Grupo Enel dedicada a produtos inovadores e soluções digitais, lançou duas plataformas digitais para otimizar a gestão dos clientes. A Utility Bill Management (UBM) gerencia, centraliza, analisa, processa e valida todas as faturas de serviços de utilities (energia, água, gás, entre outros) e o Energy Management (EM) é um software que monitora em tempo real o consumo de energia para redução de custos e eficiência operacional. Sem grandes aportes, a companhia consegue incrementar a receita oferecendo novos serviços.

Outro caso é a Avaya, líder global em soluções para aprimorar e simplificar as comunicações e a colaboração, que decidiu aproveitar o momento para transformar seu modelo de negócio. Agora, a empresa vai oferecer todo seu portfólio no formato de assinatura, tanto softwares quanto hardwares, com a ideia de flexibilizar a experiência do cliente.
Conhecida por fornecer equipamentos de comunicação como telefones e headsets para o segmento corporativo, além dos programas hospedados em nuvem, agora a companhia permite que o cliente decida quanto tempo quer usar as soluções.

Como estimular a inovação na sua empresa

Mas afinal, como criar um ambiente que propicie a criação de soluções inovadoras na sua empresa e mostrar para o seu colaborador que a empresa está aberta para inovações?
O momento é desafiador, como todos sabem, mas é justamente nessas horas que o famoso “pensar fora da caixa” deve ser levado a sério e Felipe Anghinoni, professor e um dos fundadores da Perestroika, escola de atividades criativas, vê o momento ideal para inovar.
“A luta pela sobrevivência é o que mais ajuda a inovar. Se a empresa espera estar tudo ótimo para inovar, esse momento provavelmente nunca vai chegar. A necessidade para a sobrevivência talvez seja o maior combustível para inovar”, analisa.
O empreendedor reforça que as empresas não podem esperar que tudo volte ao normal ou que uma salvação seja apresentada para iniciar um processo de inovação. E dá o exemplo da sua própria empresa. A forma que lidou com a pandemia na Perestroika e a decisão de não ter mais cursos presenciais foi sendo protelada até que precisou ser tomada sem ninguém ter 100% de certeza sobre o futuro.

Como criar uma cultura inovadora?

Para Felipe, o primeiro passo para criar uma cultura inovadora na sua empresa é ter coragem para apostar em quem tem as características inovadoras, mas que geralmente não segue os padrões costumeiros do mercado de trabalho.
“Coragem é fundamental para a inovação. Quando ouço em uma empresa que fala que quer inovar, mas com segurança, eu acho praticamente impossível. Claro que temos que ter algum controle de risco. Se você busca o novo, não tem como saber se vai dar certo”, avisa.

Outro ponto importante é ter uma cultura de “não resistência”, ou aceitar as coisas como elas acontecem. No caso de Felipe e da Perestroika, havia uma relutância em fechar a sede física e a decisão só foi tomada após a saída de uma das cinco empresas que usavam o espaço. “A decisão foi tomada 20 segundos depois dessa saída e não resisti mais na ideia, não pensei mais nisso”, lembra.
Felipe alerta que a empresa que estiver disposta a inovar precisa também entender que o processo é longo, depende de muitos fatores e talvez o principal desafio é lidar de forma equivocada com o erro.
“Falta uma atitude. A empresa não pode jogar para não errar e não jogar para acertar. São dois estilos diferentes. Precisa jogar para cima, tem que se expor. A intolerância ao erro, entender que o erro não é um fracasso final e sim um aprendizado muda tudo”, finaliza.

Quatro passos para inovar

Confira a seguir um guia rápido de como estimular a inovação em sua companhia.

1-Assuma a necessidade de mudar

Talvez esse seja o maior desafio, mas é essencial que alta liderança da empresa esteja certa que a inovação é necessária para que os colaboradores sejam incentivados a compartilharem ideias e impressões, de modo que, possam elaborar iniciativas sem temer o erro.
Promover rodas de conversa, grupos em redes sociais e ouvir os colaboradores é o primeiro passo. Mas isso precisa ser feito com afinco e as melhores ideias precisam ser estimuladas. O Objetivo é que as hipóteses sejam confirmadas e encaminhadas ou invalidadas o mais rápido possível para que não se perca tempo e recursos. As tentativas e erros são importantes para a criação de um modelo final de sucesso.

2. Faça uma mistura de talentos

O RH tem um papel importante de promover encontros entre áreas diferentes da empresa, afinal a multidisciplinaridade permite que os colaboradores tenham uma visão ampla dos problemas e busquem por soluções pertinentes.
Isso pode ser estimulado por meio de workshops ou até mesmo job rotation, ou seja, uma rotação dentro do ambiente organizacional para ampliar as experiências e a aprendizagem.

3. Fique de olho na diversidade da liderança

É comprovado que diferentes perfis trabalhando juntos conseguem melhores resultados. Por isso, além de observar o currículo, observe as competências comportamentais na hora de nomear líderes. Representatividade pode ser o fator decisivo.

4. Incentive o processo

Para encorajar os colaboradores incentive processos que avaliam cada nova ideia. É possível criar um comitê ou mesmo elencar alguém que será o responsável por receber as sugestões. A ideia é que haja incentivo e relevância nas ideias.
Depois de criada essa cultura de abertura para as mudanças sua empresa já estará preparada para começar a testar hipóteses e encontrar novos caminhos.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 2

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.