No mês de junho, conhecido em todo o mundo por ser o mês do orgulho LGBTQIA+, os debates e ações pela diversidade ganham ainda mais espaço na sociedade, ao mesmo tempo em que as empresas também são chamadas a agir. Mas, diante de uma discussão tão importante, as ações devem ir além de posts nas redes sociais e avatares nas cores do arco-íris, de forma a criar impactos positivos tanto para os colaboradores quanto para a companhia.

Segundo uma pesquisa da OutLeadership, 68% das pessoas da comunidade LGBTQIA+ no Brasil já sofreram discriminação no ambiente corporativo, o que reduz a produtividade e o índice de retenção dos colaboradores. Por isso, criar uma política de diversidade em seus negócios é cada vez mais essencial para garantir um bom ambiente de trabalho e, consequentemente, o engajamento das pessoas.

Para ajudar na elaboração de uma política de inclusão, listamos abaixo 5 pontos para ficar atento:

1 – Fale abertamente sobre diversidade sexual e de gênero

Adote o tema nos códigos de ética e conduta de sua empresa. Ressalte que a companhia é aberta à diversidade, que discute as melhores práticas de inclusão e bem-estar de pessoas LGBTQIA+ no trabalho e que não tolera atos de discriminação e homofobia.

2 – Conscientize toda equipe sobre a diversidade

Busque realizar palestras e treinamentos com todos os colaboradores, e principalmente com os gestores, para conscientizá-los sobre os problemas enfrentados por pessoas LGBTQIA+ no ambiente de trabalho, assim como sobre as melhores forma de agir em casos de discriminação.

3 – Crie um canal de ética

Essa medida é fundamental para garantir que os colaboradores possam registrar desvios relacionados à diversidade, como atos de LGBTfobia, e indica o compromisso com a promoção de um ambiente de segurança psicológica, permitindo que os funcionários se sintam acolhidos e respeitados pela empresa.

4 – Fique atento com os benefícios

Benefícios como licenças parentais estendidas (maternidade e paternidade), berçário ou inclusão do cônjuge no plano de saúde, devem ser concedidos a todos os colaboradores, independentemente do gênero ou orientação sexual.

5 – Crie comitês de diversidade

Os comitês funcionam como grupos nos quais funcionários possam se voluntariar para debater questões relacionadas à diversidade e às melhores práticas de inclusão e bem-estar. Pode funcionar como uma “rede de apoio” para que todos compartilhem experiências e dicas. Mas, atenção: as discussões que ocorrem no comitê não devem ficar apenas entre seus membros. É necessário também divulgá-las aos demais funcionários e manter as portas abertas para novos participantes.

A promoção da diversidade e respeito no ambiente de trabalho é um caminho sem volta, e cada vez mais empresas devem seguir por esse caminho.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 3.7 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.