Todo início de ano inspira uma espécie de balanço das ações que aconteceram ao longo dos últimos meses. Em um ano atípico, com a pandemia do novo coronavírus mudando todos os planos iniciais, alguns termos se mostraram mais buscados entre os profissionais de recursos humanos.

Segundo um levantamento do Grupo TopRH, empoderamento feminino, onboarding digital, LGPD e saúde mental estão entre os tópicos mais buscados pelos profissionais de gestão de pessoas.

Em suma, o RH passou por grandes transformações, assumindo cada vez mais um papel estratégico nas empresas. Essa evolução exigiu que os profissionais buscassem tendências e novidades em um mercado em constante movimento.

Baseado em dados recolhidos até novembro de 2020, o Grupo TopRH fez uma análise dos principais termos buscados no portal RH Pra Você. Confira a lista com breves resumos a seguir:

Empoderamento feminino: Empoderar mulheres e promover a equidade de gênero em todas as atividades sociais e da economia são frentes de sucesso já comprovadas para o impulsionamento dos negócios. Além disso, empoderar os funcionários é uma das tendências do novo mercado de trabalho pós-pandemia.

Onboarding digital: Por conta da recomendação de isolamento social em virtude da pandemia, o formato tradicional de onboarding, a típica integração de novos colaboradores, precisou ser alterado. As mudanças começam já na hora de fazer o recrutamento. Os momentos presenciais precisaram ser substituídos por encontros virtuais e isso exigiu mudanças importantes no formato, que deve perdurar em 2021.

LGPD: A Lei Geral de Proteção de Dado Pessoais passou a vigorar no segundo semestre e exigiu mudanças importantes na forma de as empresas se comportarem com fornecedores, colaboradores e clientes.

Saúde mental: Essa questão vem sido amplamente discutida por conta da pandemia. Desencorajar ou limitar horas extras para que os colaboradores possam manter um bom gerenciamento da vida pessoal-profissional foi uma das iniciativas adotadas por muitas empresas. A discussão sobre como manter a saúde mental em tempos de pandemia também deve se arrastar para o próximo ano.

People Analytics: Por meio da tecnologia que ajuda a entender os dados, as empresas podem realizar desde relatórios básicos informando dados históricos e demográficos, que impactam no vale-transporte, por exemplo, até atingir o nível de modelagem, onde os dados coletados e indicadores calculados são utilizados para realização de previsões ou investimentos. A verdade é que tudo dentro de uma empresa pode virar estatística e ajudar no planejamento da gestão da força de trabalho.

Gamificação: Usar estratégias de videogames para envolver os colaboradores e ajudá-los na solução de problemas e aprimoramento de seu aprendizado tem sido uma prática cada vez mais comum nas empresas. A gamificação é uma técnica que busca o engajamento dos funcionários nas suas atividades cotidianas usando jogos motivacionais.

Inteligência artificial (chatbots, machine learning): Os chatbots podem assumir um papel importante de alívio da mão-de-obra no departamento de RH. Isso porque a programação dessa ferramenta pode alimentar os funcionários com informações automáticas que são muito requisitadas, como detalhes sobre folha de pagamento, convênio médico, período de férias, dados de vale-alimentação e dicas de treinamento, por exemplo.

Diversidade e igualdade: Além da indiscutível questão social, é comprovado que as iniciativas de diversidade mexem com a parte financeira. Um estudo da consultoria americana McKinsey, com mil empresas em 12 países, mostrou que companhias preocupadas com a diversidade de gênero são 21% mais lucrativas do que outras. Quando a questão envolve raça, etnia e outras diferenças culturais, esse número sobe para 33%.

No Google trends, outra importante ferramenta de medição de assuntos em alta, além dos termos já mencionados destacam-se ainda assuntos como:

Transformação digital e agilidade:  a busca por times ideais para implementar mudanças necessárias em cenários incertos. Há um interesse dos profissionais de gestão em saber como equipes ágeis podem trazer a visão do cliente a respeito de priorizações daquilo que tem mais valor por meio de ritos como reuniões diárias (dailys) e quadros para acompanhamento da evolução de projetos inspirados em kanban,  um cartão de sinalização que controla os fluxos de produção ou transportes em uma indústria.

Soft skills e habilidades comportamentais: o lado humano, a empatia e a habilidade de relacionamento ganharam relevância nas buscas em 2020. Motivar colaboradores, guiando-os para um caminho adequado, dentro das possibilidades que o cenário em transformação impõe, bem como assegurar segurança psicológica para tomada de decisão e produtividade são habilidades ainda mais essenciais para gestores. A tendência é de alta desta demanda, à medida em que a automação por inteligência artificial dê conta de processos “braçais”. Neste contexto, o fator humano passa a ser ainda mais vital para agregar valor a qualquer negócio.

Benefícios atrativos: manter, reter e atrair talentos nunca foi tão importante quanto em 2020. Nesta toada, o time de gente e recursos humanos das empresas têm exercitado a criatividade para suprir o anseio por benefícios atrativos e flexíveis. Alguns fogem do convencional, como licença menstrual, e outros asseguram aquilo que mais importa no momento, como auxílio de despesas no home office. O fato é que o debate sobre benefícios permanecerá em alta no ano seguinte.

Esse mapeamento é importante por também servir como bússola para quem trabalha na área de recursos humanos. Continue acompanhando o Blog da Alelo para ficar por dentro de todas as tendências sobre gestão de pessoas.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.