Gestão

O que é o “Job Ghosting” após uma entrevista de emprego?

O que é o “Job Ghosting” após uma entrevista de emprego?
0

Você provavelmente já presenciou esta cena: enviou um currículo, realizou uma entrevista de emprego com o recrutador e depois nunca mais teve uma resposta. Esse fenômeno tem nome: “Job Ghosting”. 

Embora o termo “ghosting” esteja começando a ganhar popularidade no ambiente corporativo, ele já é bastante conhecido em aplicativos de relacionamento. A palavra vem do inglês “ghost”, que significa fantasma.

Esse termo é frequentemente utilizado para descrever pessoas que desaparecem da vida de outra sem dar nenhuma explicação, assim como um fantasma. No caso dos apps de paquera, é quando as pessoas conversam por dias e, de repente, param de responder às mensagens.

No caso do “Job Ghosting”, essa é a prática de interromper repentinamente toda a comunicação com um candidato que está participando de um processo seletivo.

Geralmente, o profissional de recursos humanos considera que está mandando um recado indireto de que esse profissional não faz mais parte da disputa pelo cargo, em vez de simplesmente informá-lo. 

Esse tipo de prática pode provocar vários prejuízos, tanto para a organização quanto para o profissional que está buscando espaço no mercado de trabalho.

Os motivos mais comuns para o Job Ghosting

Existem diversas razões para o ghosting acontecer. A principal delas é simplesmente o fato de o empregador já ter encontrado uma nova pessoa para aquela vaga. 

Sabemos também que realizar um processo seletivo demanda tempo e, muitas vezes, a contratação precisa ser feita às pressas, não é? Com isso, o recrutador acaba focando seus esforços na concretização da admissão do candidato escolhido, sem dar atenção aos demais que participaram. 

Além disso, o boom das plataformas digitais, como o LinkedIn, tornou mais fácil o processo de candidatura. Isso faz com que o RH seja inundado com currículos todos os dias, dificultando responder a cada um individualmente.

O que é o “Job Ghosting” após uma entrevista de emprego?

Medo de feedbacks

Embora bem-intencionados, muitos recrutadores acham difícil fornecer um feedback negativo para os candidatos. Dizer que simplesmente não vão seguir com a pessoa acaba gerando um desconforto no profissional de Recursos Humanos, que tem que dar a má notícia. 

Também existe um receio de que, ao passar um feedback negativo, isso seja mal interpretado e visto como uma postura discriminatória. Isso deixa os recrutadores mais inseguros, com medo de serem “cancelados”.

Por esse motivo, muitos acabam decidindo que não vale a pena arriscar para ter uma conversa que certamente não será agradável para o candidato e optam apenas por não dizer nada.

Contudo, o feedback, seja no momento do recrutamento ou quando o profissional já faz parte do quadro de funcionários, é imprescindível para o seu crescimento. 

E considerando que o candidato está em busca de uma recolocação, saber o que motivou a não contratação, pode ajudá-lo a se capacitar para novas oportunidades.

Prejuízos do Job Ghosting

O comportamento frio de evitar compartilhar um feedback ou de não dar um retorno ao candidato é desanimador para quem está concorrendo a uma vaga.

Os profissionais que passam por isso se sentem aproveitados, já que dedicam tempo e esforço às entrevistas e dinâmicas e criam uma expectativa em relação ao avanço do processo. Quando ocorre o ghosting, eles ficam sem saber o que fizeram de errado e que habilidades precisam evoluir. 

Veja a seguir algumas das consequências prejudiciais para a empresa quando há um Job Ghosting:

Baixa reputação corporativa

A prática do ghosting certamente prejudica a imagem da empresa. Quem nunca contou a experiência de uma entrevista de emprego para um amigo ou familiar?

Os candidatos também farão isso e provavelmente poderão expor sua experiência negativa nas redes sociais, afetando a percepção do público sobre a organização.

Uma comunicação transparente e respeitosa é fundamental para que o processo seletivo seja conduzido com o máximo de profissionalismo.

Relações futuras

Pode ser que um candidato não seja o ideal para o atual momento da empresa, mas que haja potencial no futuro. Além disso, dependendo do tipo de negócio, ele pode ser também um cliente. 

Ignorá-los após uma entrevista de emprego pode custar à empresa oportunidades futuras de negócios ou de atração de talentos.

Mantenha o canal de comunicação aberto para preservar relações futuras, principalmente em setores pequenos e altamente especializados, onde o networking é importante para o sucesso.

Eficiência do processo seletivo

Implementar um sistema de feedback estruturado pode economizar tempo e recursos a longo prazo. Mantendo os candidatos informados sobre suas candidaturas, as empresas podem reduzir o número de consultas de acompanhamento, liberando o RH para focar em tarefas mais produtivas.

Se houver muitos casos de Job Ghosting, deve-se considerar reduzir o número de candidatos convocados para as entrevistas, tornando todo o processo mais assertivo e facilitando a comunicação dos feedbacks. 

Além disso, profissionais talentosos preferem empresas que valorizem a comunicação e o respeito mútuo. Ao evitar o ghosting, as empresas melhoram a própria imagem, tornam o processo seletivo mais eficiente e contribuem para um ambiente de trabalho mais acolhedor.

Agora que você sabe os motivos de o Job Ghosting ser tão prejudicial, é hora de agir para dar um sumiço nesta prática.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 1 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Pesquisar

Login/Sign up
Login/Sign up