Explorar São Paulo gastando pouco é um programão superacessível e cheio de possibilidades. 

Na parte cultural, paulistanos e visitantes têm à disposição um sem-número de museus, casas de cultura, teatros, espaços para shows, sebos, etc., muitos deles com precinho bem camarada ou, até mesmo, gratuitos. 

Tudo imperdível, afinal quem não quer se divertir pela metrópole, ganhar repertório cultural e continuar com os pontos do cartão Alelo Cultura lá no alto?

Então, faça chuva ou sol, já confere com a gente esse guia inspirador pela “Terra da Garoa”.

Museus para todos os gostos em SP

Com mais de 130 museus que são donos de acervos que contemplam os mais variados temas, pode-se dizer que São Paulo guarda um tanto considerável da história do Brasil e do mundo. 

Aproveite que a maioria dessas instituições tem entradas a preços acessíveis e leve a família toda para conhecer esses patrimônios da cidade.

Museu Afro Brasil

Localizado em um dos lugares mais visitados de São Paulo, o Parque do Ibirapuera, o Museu Afro Brasil Emanoel Araújo serve a um propósito muito valioso: relatar a trajetória e as influências africanas na sociedade brasileira.

O acervo é de impressionar, pois são mais de 6 mil pinturas, esculturas, gravuras e fotografias, de autores brasileiros e estrangeiros, com uma produção que abrange do século XVIII aos dias atuais. As exposições são divididas entre as de longa duração e as temporárias.

O acesso ao museu é feito pelo portão 10 do parque, na avenida Pedro Álvares Cabral. Para planejar o horário da visita e a compra dos ingressos, acesse esse link.

Museu da Imigração Japonesa

Curta um roteiro cultural com precinho bem camarada por São Paulo
Museu da Imigração Japonesa – Foto: www.bunkyo.org.br

São Paulo tem a maior comunidade japonesa fora do Japão, e o maior reduto dentro da metrópole está no bairro da Liberdade, na região da Sé. Por isso, o Museu da Imigração Japonesa não poderia ser em outro lugar da cidade. 

Inaugurado em 1978, no aniversário de 70 anos da imigração japonesa no Brasil, são mais de 97 mil itens que pertenceram aos imigrantes, que vão desde documentos, fotos e ilustrações a utensílios domésticos e vestimentas.

O museu funciona de terça-feira a domingo, das 10h às 17h, com entrada gratuita às quartas. 

MuBe – Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia

Curta um roteiro cultural com precinho bem camarada por São Paulo
Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia – Foto: www.mube.space

No caso do Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia (MuBe), a própria arquitetura do edifício já impacta o visitante.

Assinado pelo arquiteto Paulo Mendes Campos, o prédio foi erguido em concreto aparente, abaixo do nível da rua, e o paisagismo do jardim é de autoria de Roberto Burle Marx.

Com prioridade a esculturas e obras tridimensionais, o MuBe não tem acervo fixo, e as exposições estão espalhadas pelas três salas internas, além de ocupar as áreas externas. 

O MuBe tem entrada gratuita, mas é preciso agendar a visita antecipadamente. O funcionamento é de terça-feira a domingo, das 11h às 18h. O museu fica na Avenida Europa, nº218, no Jardim Europa.

Outros museus paulistanos para ganhar conhecimento:

Centros culturais para espalhar a arte

Espaços dedicados à promoção e difusão da cultura e conhecimento em suas diversas manifestações, os centros culturais enriquecem a vida dos paulistanos.

Esses ambientes de encontro estão pela cidade toda e democratizam a arte para a população. Veja a seguir alguns dos centros culturais mais interessantes da capital paulista: 

Casa das Rosas

Casa das Rosas – Foto: www.cultura.sp.gov.br

Um belíssimo casarão em estilo clássico, construído em 1935, é um descanso para os olhos em meio aos gigantescos prédios da avenida Paulista.

Reaberto desde outubro de 2023, após passar por obras de restauração, o Centro Cultural Casa das Rosas – nome inspirado nas rosas espalhadas pelo jardim do palacete – é um deleite para os visitantes, com uma agenda especialmente dedicada à poesia e à literatura, com exposições, oficinas, saraus, recitais e eventos dedicados aos lançamentos de livros.

A casa fica aberta de terça-feira a domingo, das 10h às 17h30, com uma programação diversificada e gratuita. Uma atração à parte, o jardim funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h.

Casa Guilherme de Almeida

Casa Guilherme de Almeida
Casa Guilherme de Almeida – Foto: Wikpedia

Fundada em 1979, a Casa Guilherme de Almeida é um espaço biográfico em homenagem ao poeta e jornalista, um dos mentores da Semana de Arte Moderna de 1922. 

A casa de três andares no Pacaembu foi morada de Guilherme de Almeida por mais de duas décadas, e tem como objetivo preservar e divulgar a obra do poeta, mostrando ainda curiosidades, como a participação dele como combatente na Revolução Constitucionalista de 1932.

O Centro de Estudos de Tradução Literária e a Sala Cinematographos são referências no país em suas respectivas áreas e movimentam o dia a dia da casa. O acervo, coleção pessoal do artista, tem obras assinadas por nomes como Di Cavalcanti e Tarsila do Amaral, amigos de Guilherme. 

O horário de funcionamento é de terça a domingo, das 10h às 18h, e a entrada é gratuita. . As visitas podem ser agendadas antecipadamente. 

Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)

Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)
Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) – Foto: Wikpedia

Reunindo exposições itinerantes de grandes artistas e com um circuito de teatro e música extremamente expressivos, o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) da rua Álvares Penteado, um dos prédios mais elegantes do centro histórico da capital paulista, construído no início do século XIX, funciona desde 2001 com uma programação itinerante e preço bem acessível

Os ingressos para os shows e peças não passam de R$10, e as exposições, que atraem milhares de pessoas, são gratuitas. Obras de artistas como Picasso e Aleijadinho já pintaram pelo CCBB paulistano. 

Próximo à estação São Bento do Metrô, o funcionamento do centro cultural é todos os dias, das 9h às 20h, exceto às terças.

Tem mais centros culturais? Tem sim! Veja alguns deles:

Solta o som! Shows para quem quer gastar pouco em SP

Shows de música são sempre um grande acontecimento, afinal ter a chance de ver seu artista predileto tocando ao vivo é um privilégio.

São Paulo tem palcos para todos os públicos, com lugares que por si só são um espetáculo à parte. 

Centro Cultural São Paulo (CCSP)

Centro Cultural São Paulo
Centro Cultural São Paulo – Foto: Marcio de Assis/Wikpedia

Do rock à música popular brasileira, com um espaço que recebe até 2 mil espectadores, o Centro Cultural São Paulo (CCSP) é uma referência no assunto shows musicais pela metrópole.

Nascido em 1982, o CCSP foi um dos primeiros equipamentos multiculturais do país, com uma vasta programação de peças de teatro, cinema e artes visuais, tudo sem precisar pagar entrada, além de uma vasta biblioteca e discoteca para pesquisa.

Ao visitar o CCSP, no Paraíso, aproveite a vista e dê um tempo no belo terraço verde que se esconde no alto do prédio. 

Sesc Pompeia

Sesc Pompeia, em São Paulo
Sesc Pompeia – Foto: Renato Parada

A capital de São Paulo tem espalhadas por todas as regiões 25 unidades do Sesc, instituição criada há quase 80 anos.

Um espaço dedicado às artes, lazer e o convívio do trabalhador do comércio e sua família, o Sesc tem um circuito de shows muito poderoso e, na capital paulista, um dos mais representativos é o Sesc Pompeia

Inaugurado em 1982, o lugar antes era uma fábrica de tambores e foi redesenhado a partir de um projeto ousado da famosa arquiteta Lina Bo Bardi.

O preço do ingresso dos shows geralmente não ultrapassa R$ 50, com meia entrada para estudantes e preço especial para trabalhadores do comércio. 

Sala São Paulo

Sala São Paulo, em São Paulo
Sala São Paulo – Foto: Wikpedia

Se a sua praia é a música clássica – ou se pretende refinar o gosto musical –, a Sala São Paulo é seu lugar.

A sala de concertos faz parte do complexo cultural na antiga Estação Júlio Prestes, no Campos Elíseos, e tem uma programação totalmente voltada a apresentações sinfônicas e de câmara.  

Primeira sala de concertos do Brasil e vizinha da Pinacoteca, a Sala São Paulo é a casa da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp). Uma boa dica são os Matinais, os concertos de domingo de manhã com entrada gratuita, mas que necessitam de retirada de ingresso anteriormente. 

Veja aqui a programação da Sala São Paulo e o valor dos ingressos. 

Cinema de rua, teatro baratinho e livros conservados

São Paulo tem um oceano de opções culturais. Os cinemas de rua, por exemplo, são perfeitos para quem quer fugir dos blockbusters que passam nas salas dos shoppings.

Peças de teatro em cartaz e sebos abarrotados com livros e discos também garantem a alegria de quem curte se abastecer de referências culturais. Aproveita e já coloca esses lugares aí no seu roteiro.

Cine Belas Artes

O cinema de rua mais tradicional de São Paulo, o Belas Artes está em funcionamento desde 1967 (com um breve período fechado) na rua da Consolação, nº2423, esquina com a avenida Paulista.

Em cartaz, a preferência é para filmes de arte e que não estão dentro do circuito comercial. O clima aconchegante do Belas Artes, com ar de cinema antigo, também é um ponto positivo, com uma fachada estilosa e tombada como patrimônio histórico.

Às segundas-feiras, trabalhadores, mediante apresentação de comprovante, pagam meia-entrada. Confira aqui a programação de filmes em cartaz.

Teatro Cacilda Becker

Inaugurado em 1988 em homenagem à grande dama das artes cênicas, o Teatro Cacilda Becker oferece espetáculos – gratuitos ou com preços bem acessíveis – de primeira qualidade, para adultos e crianças, e que estão no circuito de teatros da Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo. 

O prédio fica na Rua Tito, nº295, na região da Lapa, e a sala tem capacidade para 198 lugares.  

Sebo Pura Poesia

Em um cantinho charmoso, no bairro do Ipiranga, está o Sebo Pura Poesia. Por lá, a literatura e arte em geral são respeitadas, com estantes repletas de livros, CDs, discos e DVDs incríveis e bem conservados, com preços justos.

Além das milhares de opções culturais, o sebo tem ainda uma cafeteria e uma sorveteria, o que possibilita ao cliente ler um livro enquanto saboreia um café ou sorvete. 

O Pura Poesia também é utilizado como espaço para oficinas literárias e, na parte externa, em alguns finais de semana, rola roda de samba e chorinho pra galera. 

Só dicas bem bacanas para virar São Paulo do avesso e colocar a cultura em dia, não é? Então separa seu Alelo Cultura e bora passear! 

Saiba mais sobre os benefícios da Alelo em nosso site

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.