É comum ver nas gôndolas de várias redes de supermercados os produtos private label (marca privada na tradução livre), popularmente conhecidos como produtos de marca própria.

Segundo uma reportagem publicada pela Associação Brasileira de Marcas Próprias e Terceirização (ABMAPRO) em dezembro de 2023, um estudo da NielsenIQ (NIQ) revela que os produtos de marca própria estão presentes em 34% dos lares brasileiros.

Ainda de acordo com a reportagem, “os consumidores encontram nas marcas exclusivas indicadores de confiança e qualidade nos produtos que procuram”.

E não é à toa que os produtos de marca própria agradam a muita gente.

Segundo o estudo  “um relatório do Santander Research, em parceria com a Amicci, apontou que os produtos de marca própria podem garantir uma margem bruta de lucratividade superior a 30%, além de preços até 20% mais baratos que os concorrentes convencionais.”

Por isso, preparamos este artigo para você entender como funciona a marca própria e como adotá-la no seu negócio.

Vantagens e desvantagens de produtos com marca própria 

Os produtos private label nem sempre são fabricados pela loja onde são vendidos, mas sim por uma empresa especializada. A loja é responsável apenas pela marca, marketing e distribuição.

Nos supermercados, é comum ver alimentos e produtos de higiene que recebem a marca da loja para serem vendidos. Ah, vestuário também pode entrar na categoria de private label.

Normalmente, o preço é mais baixo do que os produtos de marcas conhecidas no mercado.

Conheça as vantagens de ter produtos de marca própria no seu negócio

Vantagens

O Sebrae Minas listou algumas vantagens. Confira:

Menor custo: a produção de produtos private label geralmente têm custos mais baixos do que a produção de produtos de marca, visto que as empresas que produzem produtos desse modelo não precisam investir em pesquisa e desenvolvimento, branding e marketing, o que certamente pode significar preços mais baixos para o consumidor final.

Margens de lucro mais altas: como os custos de produção são geralmente mais baixos, e a marca não precisa investir em marketing e publicidade, as margens de lucro tendem a ser mais altas para produtos private label.

Fidelização de clientes: as empresas podem usar o modelo private label buscando construir fidelidade e reconhecimento de marca, fornecendo produtos exclusivos e de qualidade aos consumidores.

Desvantagens

Competição: a concorrência no mercado de produtos private label é forte, com muitas empresas lutando por espaço nas prateleiras. Assim, as empresas precisam garantir que seus produtos sejam de alta qualidade e tenham um preço competitivo para que se destaquem.

Dependência de fornecedores: as empresas que adotam o modelo private label dependem de seus fornecedores para produzir produtos de alta qualidade e atender às suas necessidades. Qualquer problema com o fornecedor pode afetar negativamente a qualidade e a disponibilidade do produto.

Pouco controle sobre o preço: ao produzirem produtos nesse modelo, as empresas têm menos controle sobre o preço final do produto, já que muitas vezes são as empresas que vendem os produtos com sua marca que determinam o preço.

Cada empresa deve avaliar cuidadosamente as vantagens e as desvantagens do modelo private label antes de decidir adotá-lo. É importante pesar custos, riscos e benefícios potenciais com o propósito de determinar se o modelo é adequado para a empresa e para o seu mercado. 

Como você deve saber, nenhum grande passo no mundo do empreendedorismo deve ser dado sem um bom planejamento.

Estratégias para montar a marca própria

Ao decidir ter a marca própria no supermercado, é importante seguir alguns passos para obter sucesso. Olha só as dicas que o Sebrae Minas compartilha:

Identifique o produto ou a categoria de produto: o primeiro passo é identificar o produto ou a categoria de produto que você deseja vender com a sua marca própria. Isso pode ser feito com base em pesquisa de mercado e análise de tendências.

Escolha um fornecedor: uma vez que você tenha identificado a categoria de produto, escolha um fornecedor confiável e que atenda às suas necessidades em termos de qualidade, quantidade e preço.

Personalize o produto: a personalização do produto é um dos aspectos mais importantes da estratégia private label. Isso inclui o desenvolvimento de embalagens, rótulos e design que sejam distintos e identificáveis com a sua marca.

Defina a sua estratégia de marketing: determine como você vai comercializar o produto com a sua marca, incluindo a definição do público-alvo, canais de distribuição e estratégias de promoção.

Preço: determine o preço de venda do produto, levando em consideração o custo de produção, o preço dos concorrentes e as expectativas do público-alvo.

Teste e avalie: antes de lançar o produto, faça testes com o objetivo de avaliar a qualidade, o apelo e a aceitação do público. Se necessário, faça ajustes e melhorias no produto e na estratégia de marketing.

Lance o produto: depois de concluir todas as etapas anteriores, lance o produto no mercado e monitore os resultados para fazer ajustes, se necessário.

Mantenha a qualidade e a consistência: para ter sucesso com uma estratégia private label, é importante manter a qualidade e a consistência do produto ao longo do tempo, bem como se manter atualizado com as tendências de mercado e as necessidades do público-alvo.

Continue navegando pela Alelo e veja outras notícias que podem ajudar no seu empreendimento. 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 5

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.