Segundo dados levantados pelo Serasa Experian, entre janeiro e setembro de 2022, o Brasil registrou mais de 3.046.294 de tentativas de fraudes contra o consumidor. Uma a cada 8 segundos!

Ainda segundo o órgão, dentre as fraudes mais comuns estão:

  • golpe do boleto falso;
  • roubo de dados em sites falsos (o chamado phishing);
  • pedidos de empréstimos com documentos falsificados.

Por isso se ligue nas recomendações abaixo, e proteja o seu Alelo.

Informação é poder! Fique por dentro dos golpes

Toda hora surgem novos tipos de golpes na praça. Por isso, mantenha-se informado. Veja alguns tipos de fraudes comuns:

Promoções milagrosas: Um produto super barato ou a promessa de um prêmio para atrair o seu clique para um site malicioso onde seus dados poderão ser utilizados em fraudes.

Golpe da maquininha: Os dados de cartão são roubados ao pagar uma transação em uma máquina de cartão de crédito. 

Hackeamento de informações: Roubo de dados atavés de sites maliciosos, que podem levar a um golpe financeiro.

Boleto falso: Um boleto cobrando uma dívida que não existe. 

Falsa central de atendimento: Ligação ou mensagem de alguém dizendo que é da instituição financeira pedindo dados. Mas o contato é falso e com o único intuito de conseguir informações. 

Vírus do PIX: Um malware (tipo de vírus) é instalado nos celulares e intercepta transações financeiras feitas em apps de banco, alterando valores e destinatário.

Phishing: Roubo de dados em canais de comunicação fraudulentos.

Como se prevenir contra ações de phishing

Cuidado com e-mails e mensagens

Sempre que receber o contato de números desconhecidos com links, suspeite e não clique em nada até ter absoluta certeza de que é confiável. A mesma dica vale para e-mails.

Em tempos de compartilhamentos de um alto volume de mensagens pela internet, em especial pelo Whatsapp, é comum que as pessoas cliquem sem nem ao menos perceber inconsistências no link ou texto, que podem indicar se tratar de notícia falsa, criada para gerar cliques e cadastros que poderão ser utilizados para golpes.

As ações de phishing costumam ser bastante elaboradas. Os criminosos podem simular o mesmo endereço do site oficial da empresa ou e-mail, alterando apenas alguns caracteres que podem passar despercebidos, como por exemplo: adicionar mais um L: @allelo.com.br. Então fique de olho nos detalhes, ok?

E se ficar na dúvida, acesse o site oficial e verifique se a informação é real.

Não deixe passar. Nos avise o quanto antes

Recebeu uma comunicação suspeita? Entre em contato conosco e denuncie. Assim, você protege você e todos à sua volta.

E não se esqueça de tomar todas as medidas de segurança propostas pelos serviços digitais que você utiliza, desde aplicativos bancários às redes sociais.

Segundo um relatório da Kaspersky, companhia de segurança, o Brasil é líder mundial em golpes nas redes.  

Como impedir que suas redes sociais sejam hackeadas

Quem nunca teve sua rede social hackeada, provavelmente conhece alguém que já passou por isso. Seja por meio de anúncios falsos de venda de produtos, ou ainda entrando em contato com as pessoas para pedir dinheiro emprestado, os golpes são cada vez mais comuns.

Para quem usa as redes sociais para ampliar os negócios, como é o caso dos estabelecimentos comerciais, ter seu perfil hackeado pode resultar em prejuízos significativos. E como muitas empresas têm um número maior de seguidores, acabam sendo alvos desses criminosos.

Mas não se engane. Mesmo as contas pessoais, sem muitos seguidores, também são alvos fáceis.

Com o phishing, um tipo de ataque feito através de uma página falsa ou uma tela de login criada para simular um site verdadeiro, você pode acabar compartilhando seus dados pessoais e até mesmo informações bancárias, sem nem notar.

Mas há formas de se proteger! Preparamos algumas dicas para você garantir que as suas redes sociais não sejam tomadas por hackers:

  • Desconfie de promoções muito generosas, notícias sensacionalistas ou qualquer link atrativo demais;
  • Faça uma busca no Google com o título da mensagem para verificar se procede de um canal confiável ou se já foi identificada como golpe;
  • Jamais compartilhe suas senhas ou código de verificação das suas redes sociais e Whatsapp. Elas darão acesso irrestrito às suas contas;
  • Fique atento aos termos usados na mensagem. São palavras que o seu contato costuma usar normalmente?
  • Caso a pessoa peça algum dado pessoal, dinheiro ou qualquer tipo de favor, procure tratar pessoalmente, ou ao menos através de uma ligação telefônica;
  • Siga todos os protocolos de segurança indicados pela empresa detentora da rede social, especialmente com relação à verificação em duas etapas.

Ative a verificação em duas etapas

Praticamente todas as redes sociais possuem a ferramenta de verificação em duas etapas, que permite uma nova proteção além do login e senha.

Busque os ícones de “configuração” ou “privacidade” na rede social e escolha uma das alternativas disponíveis. Geralmente é possível digitar um código enviado ao aparelho ou e-mail, ou ainda configurar uma ligação telefônica ou mensagem a fim de confirmar o acesso.

Faça isso também com seu celular. Em vez de habilitar apenas a o bloqueio de tela, cadastre uma senha para seu chip, que será solicitada quando ligar o telefone ou colocar o chip em outro aparelho. Isso também dificulta o acesso às suas redes em caso de roubo ou perda do celular.

Cuidado com as senhas: capriche no grau de dificuldade

A dica é batida, mas precisa ser reforçada: as senhas devem ser fortes. Nada de datas de aniversários ou apelidos. O ideal é que elas contenham caracteres especiais, como “@”, “#” ou “&”, e misture números e letras maiúsculas e minúsculas.

Busque também criar senhas maiores, já que as mais curtas são mais fáceis de serem identificadas por pessoas mal-intencionadas, ou quebradas em ataques hackers, que utilizam tecnologia para isso.

Além disso, cadastre senhas diferentes para cada rede social e não as repasse a ninguém. Assim, no caso de uma rede social ser invadida, as demais continuarão seguras.

E claro, não adianta criar uma senha super complexa, e deixá-la anotada num post-it grudado no computador. 🙂

O que fazer caso sua rede social tenha sido hackeada?

Se a sua rede social foi hackeada, o jeito é entrar em contato com a empresa que a administra para recuperar seu perfil. Siga os passos indicados nas áreas de Central de Ajuda.

É recomendável comunicar seus contatos sobre o ocorrido. Assim, se alguém for alvo de mensagens disparadas pelos criminosos, já saberá que é alguém se passando por você. Especialmente se começarem a usar o seu perfil profissional para tentar vender produtos ou serviços falsos.

Acima de tudo, seja paciente. O processo de recuperação de conta costuma ser demorado, portanto até lá, utilize outros canais para manter a comunicação ativa com seus contatos.

E lembre-se de tomar todas as medidas possíveis para evitar que isso ocorra novamente. Assim você protege todos à sua volta. 🙂

Tome cuidado com os dados dos seus cartões

Além das redes sociais, vale lembrar que nossa presença digital vai muito além.

Sabe quando salvamos os dados dos nossos cartões em sites ou plataformas de e-commerce para facilitar o processo de compras futuras? Por mais que seja prático, é um risco de golpe financeiro.

Afinal, os sites e as plataformas podem ser invadidos a qualquer momento, expondo os dados de seus cartões, que podem ser fraudados. 

Assim, é recomendável comprar apenas em sites conhecidos, com certificado de segurança, ou ainda optar pelos cartões digitais temporários, oferecidos pelos bancos. Você também pode utilizar uma carteira digital, que possui mecanismos de segurança para impedir o roubo de informações.

Além disso, é importante ressaltar que você não deve compartilhar seus cartões pessoais com ninguém. 

E ao efetuar compras em plataformas desconhecidas, pesquise sua reputação, seja pelas redes sociais ou mesmo em sites como o Reclame Aqui

Outras dicas importantes:

  • Observar padrões pode te ajudar a evitar um golpe. Note que os criminosos costumam usar palavras que despertem o interesse ou a curiosidade das pessoas. 
  • Tenha sempre um antivírus instalado e atualizado em seus computadores e celulares. Eles ajudam a detectar e eliminar possíveis ameaças à sua segurança. 
  • Ao acessar um site, confira sempre o endereço. Existem domínios falsos criados apenas para aplicar golpes, como vender produtos que não são reais. 

Deu pra ver que todo cuidado é pouco hoje em dia? Então aplique estas dicas no seu dia a dia e compartilhe com seus amigos.


O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 30

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.