Sabe aquele cheiro de bolo recém-saído do forno ou mesmo aquela fornada de pão fresquinha logo cedo? Esses aromas podem ser apenas uma consequência para os estabelecimentos alimentícios, mas muitas vezes eles vão muito além disso. O marketing olfativo é uma das técnicas de marketing sensorial que são planejadas para arrebatar o seu coração e fazer o seu desejo por um determinado produto ou serviço crescer e se tornar irresistível.

O olfato funciona como um guia para as nossas vontades, já percebeu? Um aroma pode nos levar imediatamente para uma sensação de bem-estar e tranquilidade ou pode nos deixar enérgicos e animados. A conexão através dos aromas pode acontecer tanto em ambientes como em produtos.

O que é marketing olfativo?

O marketing olfativo é um aliado poderoso para o mercado. Segundo um estudo da Universidade Rockefeller, de Nova York, deixou clara a relevância do olfato na experiência sensorial quando assegurou que o ser humano é capaz de se lembrar de 35% dos odores que sente, contra 5% do que vê, 2% do que ouve e 1% daquilo que toca.

Quem pode explicar essa criação de experiências positivas é a neurociência. Existem ligações estreitas entre o nosso sistema olfativo e um circuito neural envolvido com o comportamento emocional – o sistema límbico. Assim sendo, aromas e cheiros podem gerar respostas emocionais intensas e formar memórias significativas.

Exemplos de marketing olfativo

A técnica não é exatamente uma novidade. Os americanos, na década de 1970, começaram a fazer do aroma um aliado. Os cassinos de Las Vegas usavam a técnica para incentivar que os apostadores jogassem cada vez mais. Por aqui, a aplicação dessa técnica só foi iniciada em meados dos anos 90, mas ganhou força nos anos 2000.

Nos últimos anos, o varejo aposta forte na tendência, ainda mais em tempos de isolamento social. Levar a experiência dos restaurantes e dos estabelecimentos do ramo alimentício para dentro da casa dos consumidores se tornou um bom desafio, que muitos conseguiram atingir com primor.

O cheiro é um dos principais pontos observados nas entregas no delivery. Os cuidados para manter esse ativo tão desejado pelos consumidores passam pelo cuidado com o preparo, acondicionamento das refeições de modo adequado e o serviço de logística.

Quando o assunto é bem-estar, o marketing olfativo contribui para fidelizar os clientes. Diversos estudos apontam, com frequência, a existência de indícios positivos da influência do estímulo olfativo no comportamento de consumidores. Dentre eles, dois importantes estudos – um feito na Alemanha e outro nos Estados Unidos -, destacam-se:

Segundo uma pesquisa comportamental realizada no país germânico, o uso de aromas personalizados aumenta em 15,9% o tempo de permanência do cliente no ponto de venda, em 14,8% a probabilidade de compra e em 6% as vendas reais.

O uso de aromatizantes em hotéis e pousadas também tem sido aplicado como estratégia de diferenciação da concorrência. Qualquer empreendimento hoteleiro seja de lazer ou de negócios pode adotar o marketing olfativo. A sensação de bem-estar pode ser experimentada desde o aroma em toalhas e roupa de cama, assim como nas refeições desse estabelecimento.

Como fazer marketing olfativo (de forma profissional)

Nem sempre o consumidor é capaz de ter consciência de sua preferência por um aroma ou fragrância em específico, já que as associações que influenciam seu comportamento ocorrem no nível inconsciente. Durante uma pesquisa tradicional, o consumidor até pode falar que prefere um aroma a outro, mas entender como esse aroma pode influenciar decisões de compra e preferências é necessário conhecimento em neuromarketing, seja através de estudos ou de uma consultoria especializada no tema.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Veja mais conteúdos que podem te interessar

Comentários

Comentários estão fechados.