Gestão

Livros que nos ensinam a exercitar a criatividade

0
melhores livros sobre criatividade

Criatividade e inovação são duas palavras que deveriam estar no dicionário de todo gestor. A primeira alimenta a segunda e possibilita enxergar novas soluções para velhos problemas do dia a dia.
Uma soft skill (aquelas habilidades comportamentais) bastante requisitada pelo mundo corporativo, a criatividade não é privilégio daqueles que nascem com um dom. Para abrir o lado criativo da mente é preciso alguns estímulos que estão ao alcance de todos, basta querer colocar em prática.
Em um momento de crise, um profissional criativo é capaz de trazer alternativas singulares para contornar a situação. Muitas ideias podem estar circulando por aí e não aparecem apenas quando precisamos delas.

Para te ajudar a despertar o seu lado criativo, selecionamos algumas lições de célebres livros de criatividade que estão nas prateleiras:

1 Páginas matinais do livro O Caminho do Artista

Ao acordar, pegue um caderno, uma caneta e escreva três páginas do que vier a mente. Essa é a proposta das páginas matinais, exercício proposto no livro O Caminho do Artista (Editora Sextante), de Julia Cameron.
A autora aconselha a prática como forma de esvaziar a mente. Enquanto liberamos a nossa cabeça das ideias e pensamentos, é com o se um grande espaço para a criatividade se abrisse e as ideias passassem a fluir com mais leveza.
Se a sua dúvida é sobre o que escrever, não se preocupe. Julia Cameron diz para simplesmente pegar um caderno e escrever o que vier à sua cabeça. Pode ser qualquer coisa, pode fazer sentido ou não.
Com o passar dos dias, o hábito se transforma em algo natural e até mesmo ideias podem surgir durante a atividade. O Caminho do Artista ainda propõe uma série de exercícios, como o encontro com o artista no qual você é estimulado a ter um encontro consigo.
Vale “se convidar” para tomar um café, ouvir uma música, assistir um filme. O importante é aproveitar esse momento para ouvir a sua voz interior e se habituar a conviver com as suas próprias ideias. É aí que mora a criatividade!

2 As lições de Osho em Criatividade Liberando Sua Força Interior

Shree Rajneesh, também conhecido como Osho, é um líder espiritual indiano que já escreveu diversos livros e ampliou os seus ensinamentos sobre meditação, amor e coragem.
Em uma obra em especial, Criatividade Liberando Sua Força Interior (Cultrix), Osho nos mostra que a criatividade é uma escolha. Em um trecho do livro, ele diz: “A atividade por si mesma não é criativa ou não criativa. Você pode pintar de uma forma não criativa. Você pode cantar de uma forma não criativa. Você pode limpar o chão de uma forma criativa. Você pode cozinhar criativamente”.
A criatividade de Osho está na forma de encarar a vida, de se permitir experimentar novas sensações todos os dias. Sob a ótica das suas crenças, o indiano diz que Buda, sentado sob uma árvore, exercitava toda a sua criatividade.
A lição de Osho para a criatividade é passar a encarar a vida com mais leveza, enxergando novas possibilidades para velhos problemas. Assim, a inovação será quase uma consequência do viver.

3 Reúna referências e crie algo original com as lições de Roube Como Um Artista

Para criar e inovar há quem pense que é preciso ter uma grande sacada. No livro Roube Como um Artista (Editora Rocco), o autor Austin Kleon defende que a criatividade é alimentada por ideias que estão circulando por aí.
Kleon, que é designer, acredita que nada é original e por isso nós podemos “roubar” ideias sem medo. A intenção é captar as influências, coletar ideias e então encontrar o seu novo caminho a partir do que já existe.
O livro estimula que você seja “selvagem” com a sua imaginação e deixe-a correr livremente para poder exercer a criatividade e a ousadia. Kleon diz que, chegar um momento que essa sensação de cópia vai embora e você vai perceber que criará a sua própria versão – seja no trabalho, ao tocar um instrumento musical, ao preparar uma refeição para a sua família ou mesmo criando um negócio.

4 Acione o inconsciente como diz o livro Criatividade Quântica

Ph.D em física quântica, Amit Goswami é referência mundial em estudos que buscam conciliar ciência e espiritualidade. Professor de Física na Universidade de Oregon, nos Estados Unidos, o indiano de 83 anos escreveu o livro Criatividade Quântica: Como Despertar o Nosso Potencial Criativo (Editora Aleph).
Na obra, Goswami integra as teorias sobre criatividade com física quântica e nos faz crer que os insights, aqueles lampejos criativos, são um salto quântico da mente e do cérebro.
Segundo o autor, a criatividade humana se processa em dois níveis de pensamento – no consciente e no inconsciente. Ainda que não tenhamos o total controle sobre o inconsciente, no livro ele ensina que é possível estimular o inconsciente para viver de forma criativa.
É como se os exercícios estimulassem a nossa intuição e nos permitissem acessar uma área do cérebro que não é trabalhada habitualmente. Para defender a sua teoria, o professor destaca que máquinas não são capazes de dar saltos quânticos, mas a mente humana sim. Com isso, ele defende que a criatividade humana nunca será substituída por máquinas ou robôs.

5 Cultura interativa é estímulo do livro Criatividade S.A.

Ed Catmull, CEO da Pixar, conta no livro Criatividade S.A. (Editora Rocco) qual é o segredo para manter um time criativo e engajado. Segundo o autor, acabar com o medo é o primeiro passo para contar com profissionais criativos.
Na Pixar, os bebês feios são os primeiros esboços de um filme. Eles são feitos para mexer, mudar, refazer, sem medo de ser feliz. Catmull diz que quanto antes a falha aparecer, mais fácil será corrigir.
Ele acredita que a criatividade é coletiva e o caminho para chegar até ela é cheio de fragilidades, como na navegação. O CEO da Pixar acredita que o excesso de planejamentos até pode te deixar mais seguro, mas não te ajudará a ter sacadas criativas. Logo, ele defende que é preciso estimular a coragem, para o erro aparecer e a criatividade renascer.

6 O pensamento lateral de Edward de Bono

Com mais de 67 livros escritos, traduzidos para 37 idiomas, e treinamento de mais de 400.000 executivos, Edward de Bono é um dos gurus da criatividade. Segundo Bono, a criatividade não é uma habilidade intuitiva, mas uma competência que pode (e deve) ser treinada.
Um dos métodos recomendados pelo guru da criatividade é o pensamento lateral. O autor acredita que se buscarmos as respostas nos mesmos lugares, vamos entrar em um buraco cada vez mais fundo.
O pensamento lateral ajuda a extrapolar as possibilidades em outras áreas. O método é usado por empresas como DuPont, Siemens, Shell, Motorola, Microsoft, entre tantas outras que prezam pela inovação nos seus produtos.
livros de criatividade

7 Exercite o O Ócio Criativo de Domenico De Mais

O cientista e sociólogo italiano Domenico De Masi é celebrado como um dos nomes mais recomendados quando o assunto é criatividade. Em seu mais conhecido trabalho, o autor defende a diminuição da jornada de trabalho, o fim do excesso de procedimentos nas companhias e o home office.
Ele acredita que os protocolos corporativos acabam com a criatividade. Para provar a sua teoria, ele montou o seu escritório na sua casa, todos os seus colaboradores trabalham à distância e, quando bem entende, sai pelas ruas de Roma para “respirar criatividade”.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.