Empreendedorismo

Estratégias para seu negócio em tempo de coronavírus

0
estratégias em tempo de coronavírus para seu negócio

Ouça a matéria sobre “Estratégias para seu negócio em tempo de coronavírus” clicando no player:

A pandemia do novo coronavírus mudou completamente a rotina dos países atingidos e já são mais de 200 mil infectados no mundo. O Brasil, que enfrenta um rápido avanço do vírus, também busca se adequar rapidamente para tentar conter um problema ainda maior. Enquanto isso, muitas empresas, especialmente de pequeno e médio porte, se questionam como farão para enfrentar o momento de queda brusca no consumo. Justamente para ajudar esses empreendedores neste momento, conversamos com especialistas e separamos dicas em três frentes importantes para prestar atenção: estímulo ao empreendedorismo, gestão das equipes e apoio financeiro. Confira a seguir algumas estratégias para seu negócio em tempo de coronavírus:

Dicas para estimular o empreendedorismo

As vendas online se tornam uma opção importante para esse período. Afinal, o importante é ter consciência que a circulação de pessoas precisa diminuir. 

Seja por aplicativos de entrega ou por delivery próprio, os empreendedores podem usar essa estratégia para garantir fluidez do negócio. Com o uso de Whatsapp, os clientes mais frequentes também podem acionar um serviço de retirada. Dessa forma, o estabelecimento prepara o produto e o cliente apenas retira, reduzindo o contato físico e o uso do espaço. Limitar o número de produtos nesta fase também é um dos caminhos. Por exemplo, restaurantes podem ter um menu semanal e apenas um prato adicional por dia. 

Para ampliar as vendas online é preciso usar mais tempo para abastecer as redes sociais com fotos dos produtos e promoções, por exemplo. Buscar perfis de microinfluenciadores (com até 10 mil seguidores) da região e pedir ajuda com a divulgação do negócio também é válido, já que há uma corrente de empatia em andamento.

Apostar em entrega de refeições ajuda a diminuir o contato e mantém o negócio girando. Outra opção para estabelecimentos como pequenos mercados é montar cestas de produtos com itens essenciais, para que o cliente fique menos tempo no local.

É importante que os clientes sintam a preocupação do estabelecimento com o coronavírus. Por isso, disponibilizar toalhas de papel e álcool em gel pode ser um diferencial. Além disso, orientar que seja mantida uma distância segura entre os clientes também é importante. Uma das ideias é colocar adesivos nas filas sinalizando o espaço ideal entre as pessoas.

Exemplos que servem como inspiração

Alguns exemplos podem ajudar a compreender a necessidade de se reinventar nesse momento. A empresa Leiturinha, de livros infantis, criou um guia gratuito com atividades para pais e filhos que estão em casa. A Ambev anunciou a produção de 500 mil unidades de álcool em gel utilizando garrafas PET de suas bebidas para doar a hospitais públicos municipais de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, onde existe concentração de casos de pacientes em tratamento ou suspeita de contágio por coronavírus. A Cuidaí disponibilizou um aplicativo gratuito de exercícios para funcionários de empresas em home office. O Ifood criou um fundo emergencial de R$ 1 milhão para ajudar os entregadores.

Ou seja, é preciso focar em soluções para o momento. Como dizem os especialistas em liderança, embora uma crise inicial não possa ser evitada, a crise secundária de uma resposta ruim pode ser ainda pior.

Como realizar a gestão da equipe

O consultor de RH, Mário Santanna, orienta que a transparência seja a palavra-chave neste momento. Não importa o tamanho da equipe, todos devem ser avisados sobre os passos da empresa. “Seja a possibilidade de paralisar as operações, de revisar a forma de higiene ou de realizar um revezamento da equipe. Todos devem ser informados”, explica. Como o momento é de muitas incertezas, a comunicação constante é essencial.

A recomendação das autoridades de saúde é que a população se mantenha em casa e evite aglomerações para reduzir a curva de contágio do coronavírus. O Governo do Estado de São Paulo já publicou medida de fechamento de shoppings, academias e outros estabelecimentos. Inúmeras cidades vão alterar o esquema de funcionamento do transporte público e muitas empresas estão concedendo home office.

Em caso de estabelecimentos como restaurantes, bares, lavanderias, salões de cabeleireiro, a recomendação é que haja ao menos um revezamento da equipe. Dessa forma, o negócio continua e caso haja algum doente, o risco de contágio para todo o time é menor. “As pessoas do grupo de risco, que são os idosos e com doenças pré-existentes devem ser poupadas ao máximo”, diz o consultor.

Reagendar visitas de fornecedores também pode ser uma forma de reduzir a circulação de pessoas no local.

Como garantir suporte financeiro

Manter um negócio rodando não é tarefa fácil e em tempos de crise fica ainda mais complicado. Por isso, é importante prestar atenção na questão financeira.

O Governo Federal anunciou o adiamento da parte da União no recolhimento do imposto do Simples Nacional, pelo período de três meses, o que vai corresponder a uma renúncia temporária de R$ 22,2 bilhões. A medida vai beneficiar aproximadamente 4,9 milhões de empresas, que são optantes do regime tributário, e o pagamento dos impostos será adiado para o segundo semestre deste ano. Também anunciou o adiamento do prazo de pagamento do FGTS por três meses, o que representa renúncia temporária de R$ 30 bilhões.

Além disso, vai liberar R$ 5 bilhões pelo Programa de Geração de Renda (Proger), mantido com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). A quantia será repassada aos bancos públicos para que eles concedam empréstimos voltados a capital de giro das micro e pequenas empresas. 

Alguns bancos já estão dando a possibilidade de postergar o pagamento de empréstimos de microempresas que estejam em situação legal sem a incidência de juros extras. Haverá simplificação das exigências para contratação de crédito e dispensa de documentação (CND) para renegociação de crédito. Avalie se essa é uma estratégia relevante para o seu negócio neste momento.

Outras iniciativas também devem ajudar os pequenos empresários. O Facebook, por exemplo, criou um fundo de US$ 100 milhões para ajudar pequenos negócios em 30 países a passar pela crise causada pela pandemia. O montante contempla o Brasil e será dividido entre concessão financeira e créditos publicitários na plataforma.

Nós, da Alelo, acreditamos que este e outros textos disponíveis aqui podem te ajudar a superar não só esse momento de pandemia, mas, também outras dificuldades que podem ser encontradas durante a gestão de um negócio ou um empreendedorismo.

 

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.