Especial

Dicionário ESG: os principais termos pra você ficar antenado no assunto

0

Dia 5 de junho foi Dia Mundial do Meio Ambiente. Uma importante data que tem como objetivo principal chamar a atenção de todos para as questões ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais.

Marcado na siga ESG (Environment ou meio ambiente na tradução livre), as pautas de sustentabilidade vem ganhando cada vez mais relevância na hora de montar uma estratégia de negócios. Desde as iniciativas básicas, como priorizar materiais recicláveis, até as mais importantes, como formatar uma política de contratação com vagas afirmativas.

Mas por que o assunto está em alta?

Além da necessidade de trabalhar por um futuro mais sustentável, as empresas hoje respondem a uma cobrança da sociedade – clientes, colaboradores e investidores – que cada vez mais olham para o impacto do próprio consumo e para as consequências de suas escolhas.

Por isso, o Blog da Alelo preparou uma série com conteúdos especiais para você ficar informado e se inspirar para promover mudanças na sua empresa. Vamos lá?

Por que investir em ESG na minha empresa?

Empresas mais sustentáveis, atentas às práticas ESG, têm números melhores. Isso porque as pessoas buscam cada vez mais se associar às marcas com responsabilidade social.

É o que mostra a primeira edição do “ESG Consumer Index” da agência Lew’Lara TBWA, em parceria com a DCode, sobre reputação das empresas nas práticas ESG.

No estudo, 160 marcas de diversos setores foram avaliadas por cerca de 2 mil participantes. Advinha só: 42% acredita que as práticas ambientais de uma marca sejam o aspecto mais importante na hora de escolher a empresa.

Porém, a verdade é que o Brasil ainda engatinha nessa questão. Do total de 116,9 mil companhias acompanhadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na Pesquisa de Inovação (Pintec), somente 4,8 mil publicaram relatórios de sustentabilidade no período de 2015 a 2017, o que corresponde a 4,1% do total.

Mas muita calma nessa hora. Antes de mais nada, vamos entender o universo ESG e alguns termos que você vai ouvir muito por aí.

1 – ESG

Como vimos no início do post, a sigla ESG significa melhores práticas ambientais, sociais e de governança (das iniciais em inglês Environment, Social and Governance). Basicamente, você pode dizer que um negócio é ESG quando ele diminui seu impacto ambiental o máximo possível, tem ações para desenvolver um mundo mais justo socialmente e mantém boas práticas de gestão.

2 – Agenda 21

A Agenda 21 é um documento assinado por 179 países em 1992, como resultado da “Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento” – Rio 92. O pacto direcionou os países participantes a se comprometerem com soluções para problemas socioambientais.

3 – COP – Conference of the Parties

A sigla COP significa Conferência das Partes, na tradução literal. Trata-se do órgão mais importante da convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, adotada em 1992. Os países membros se reúnem anualmente para avaliar a situação das mudanças climáticas no planeta e propor ações.

4 – GEE ou GHG

São as siglas para Gases de Efeito Estufa (GEE) ou, em inglês, Greenhouse Gases (GHG). Usadas para falar sobre o Efeito Estufa, gases que impedem a liberação de calor na atmosfera, colaborando para o aquecimento global e, consequentemente, o derretimento das calotas polares, aumento do nível dos oceanos e muito mais.

5 – Greenwashing

O termo em inglês, que pode ser traduzido como “lavagem verde”, trata-se da promoção de discursos, anúncios e propagandas induzindo o consumidor a acreditar que a empresa é sustentável, quando não é.

Obviamente, quando se fala em práticas sustentáveis, a empresa deve começar com a transparência. Primeiro reconhecer aquilo que precisa ser transformado para, a partir daí, adotar ações práticas. E só depois poder gritar aos quatro ventos para encantar e inspirar.

6 – GRI

O Global Reporting Initiative é uma organização que auxilia empresas, governos e outras instituições a fazer a comunicação do impacto que elas têm no mundo. Os padrões GRI são usados para relatórios de sustentabilidade, informando sobre os impactos econômicos, ambientais e sociais dos negócios.

7 – ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial

Trata-se de um indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de empresas, selecionadas pelo comprometimento com a sustentabilidade empresarial. Surgiu no Brasil como uma ferramenta para acompanhar e incentivar a postura sustentável de empresas presentes na bolsa.

8 – ODS

Sigla de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Um conjunto de ações encabeçadas pela ONU para acabar com a pobreza e proteger o meio ambiente. As ODS definem o direcionamento e os planos de ação que devem ser adotados pelos 193 países membros.

9 – Upcycling

Uma tendência crescente na indústria, que significa transformar materiais e produtos descartados em itens de maior valor. Diferente da reciclagem, que geralmente significa transformar um produto descartado em um item similar.

No próximo post da série ESG traremos algumas ideias sobre como implementar práticas ESG na sua empresa. Acompanhe por aqui.

Conta pra gente. Sua empresa é ESG?



O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 1

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.